Há um propósito elevado quando Deus nos “exila”.

Mateus 4: 1
Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo”.

As provas sobre as quais o Senhor submete os seus filhos, não tem por objetivo testar o caráter no qual fomos moldados, nosso Deus já o sabe. Contudo, o Senhor quer que isso fique bem evidenciado, de maneira que ninguém fique equivocado quanto ao caráter de Seus filhos. Jesus não precisava ser “testado”, o objetivo da sua tentação foi deixar bem evidente que o diabo pode ser derrotado. Independentemente das circunstâncias ao nosso redor – se é um jardim ou se é um deserto, o diabo pode ser derrotado. Este é o ensino que Jesus nos deu – o diabo não consegue se impor sobre os que estão intimamente em comunhão com o Pai Celeste.

Há situações em nossa vida que parece um exílio de fato, vemo-nos cercado por situações adversas e, para todos os lados que olhamos não conseguimos encontrar uma pessoa sequer que possa nos auxiliar. E, para piorar, são nestas situações que nos dirigimos ao nosso Deus querendo saber o motivo da prova. Ficamos perguntando ao nosso Senhor em que erramos e o “porque” da situação, esperando uma resposta que seja coerente com o “sofrimento”. Não há outra resposta coerente que não seja a de que Ele está pondo em evidência nosso caráter.

A caverna de Adulão foi a faculdade de Davi. Foi nesta caverna que o Senhor pôs a prova o caráter de Davi. Diz a Palavra de Deus que a “equipe” que Davi liderou, era composta dos piores elementos da sociedade, não no sentido moral, mas, pelo ponto de vista social. Eram aquelas pessoas que jamais teriam uma oportunidade na sociedade – eram os segredados sociais das mais diversas esferas: economicamente; etnicamente; religiosamente; culturalmente; etc.
O “exílio” de Davi junto a esse tipo de gente, evidenciou que o jovem, independentemente, de quem estivesse liderando, daria o mesmo tratamento a todos. Nem sempre, até em nossos dias, aqueles que recebem a unção de Deus para um ministério, são forjados em faculdades ou escolas com os melhores mestres, às vezes, o Senhor nos “empurra” para uma caverna ou deserto. E, um fato, digno de nota, é que nos possíveis “exílios” pelos quais podemos passar, o próprio Senhor zela para que não estejamos só – os amigos e familiares sempre estarão por perto.

A caverna de Adulão, com toda certeza, não era o melhor ambiente para formar alguém para ser um rei. Contudo, o que devemos aprender com isso é que não é o ambiente que molda o caráter das pessoas, mas o que está neste ambiente. A caverna não oferecia conforto e nem privacidade, porém , de nada adianta termos uma casa super confortável e aconchegante se entre as pessoas que vivem nela não existir companheirismo e cumplicidade. E, isso não faltava a Davi como se comprova nos relatos bíblicos.

Deus não costuma chamar grandes e poderosos para serem seus servos, mas sim aqueles cujo coração está aberto a Ele e que se mostram ansiosos para obedecer à sua vontade. (W.W.Wiersbe)

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.