Ministérios e cargos têm de provir de Deus.

Deuteronômio 31: 23
E ordenou a Josué, filho de Num, e disse: Esforça-te e anima-te; porque tu introduzirás os filhos de Israel na terra que lhes jurei; e eu serei contigo”.

Pelo fato do Senhor fazer promessas aos que Ele chama e vocaciona para um ministério, fica subentendido que a tarefa não será fácil. Liderar um povo não é o mesmo que liderar um grupo de pessoas, ainda que as responsabilidades se assemelhem e exija esforço do líder, proporcionalmente, aquele que lidera uma nação terá, sem dúvida alguma, que exercer maior esforço. Vocacionar alguém para um ministério, não é algo que se faz do nada. A vocação é um aperfeiçoamento da aptidão natural daquele que foi chamado. Davi foi vocacionado para ser rei (pastor de Israel) por que já possuía uma aptidão natural para pastorear o pequeno rebanho de seu pai. E, pelo fato de que pastorear um rebanho de ovelhas não é a mesma coisa que governar sobre uma nação, a aptidão natural de Davi foi aperfeiçoada pelo Senhor para que pudesse governar o povo sem perder as características de um pastor.

O reinado de Davi só pôde ser próspero por que as mãos do Senhor estiveram sobre ele, auxiliando em todas as coisas e, indiscutivelmente, o Senhor não agiu benignamente com Davi em todas as coisas por causa da sua genealogia ou aparência física, sem dúvida alguma houve, da parte de Davi, a cooperação. Mas, em que o homem pode cooperar com Deus para que se realizem grandes feitos? Ora, é só obedecer. Neste quesito, Davi foi um grande exemplo para nós.

Tenho escrito com certa insistência a respeito de que nem todos que estão exercendo uma posição de liderança nas igrejas ou algum ministério eclesiástico foram chamados e vocacionados por Deus, embora o Senhor esteja tolerando a situação, não quer dizer que está sendo aprovado por Ele. Provavelmente, se Jesus estivesse vivo (em corpo humano) atualmente, estaria com os braços doendo de tanto dar chicotadas em alguns líderes, pois a situação em algumas igrejas está caótica – pastores abusando da fragilidade emocional, sentimental e espiritual do rebanho; pastores extorquindo os recursos financeiros do povo usando o nome de Deus para dar sustentação aos abusos; pastores que, como bem escreveu o profeta Ezequiel, estão apascentando a si mesmos; enfim, pastores que não se preocupam em ir buscar a ovelha que se perde. Há, porventura, nestes lideres que apresentam tais características, alguma evidência de terem sido chamados e vocacionados por Deus?

Os lideres que de fato receberam de Deus um chamado e foram vocacionados pra um ministério ou função, exercem, a função ou ministério, de forma que agrade ao seu Senhor. Estes jamais se esquecem de que o rebanho que está em suas mãos, não é sua propriedade, mas de Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.