Quem peca pagará pelos seus pecados.

Ezequiel 33: 12
 “Tu, pois, filho do homem, dize aos filhos do teu povo: A justiça do justo não o livrará no dia da sua transgressão; e, quanto à impiedade do ímpio, não cairá por ela, no dia em que se converter da sua impiedade; nem o justo poderá viver pela sua justiça no dia em que pecar”.

Não há a menor dúvida de que a intolerância de Deus é estritamente com o pecado. Independentemente de quem seja o pecador, o juízo de Deus, indiscutivelmente, é contra o pecado, e, sobre este já está determinada uma sentença. Esse é um assunto que já deveria ter sido dado por encerrado no meio cristão, a justiça de Deus é tão somente para punir o pecado, sendo assim, se o homem não quer ser alvo da ira de Deus, deve abandonar imediatamente a condição de pecador, pois, o juízo do Senhor ao aniquilar o pecado atingirá a qualquer pessoa que, naquele dia, ainda estiver na condição de pecador inconfesso.

Quando o Senhor declara em Sua Palavra que não tem prazer na morte do ímpio, Ele está afirmando que oferecerá todas as oportunidades ao ímpio para que se arrependa, ainda que pareça, ao nosso julgamento, que algum ímpio tenha morrido sem receber as oportunidades de arrependimento, temos que estar cientes de que o nosso Deus no exercício de Sua onisciência não permitirá que um pecador morra sem oportunidade de arrependimento.

Ainda que ame o homem de maneira incondicional, nosso Deus é imparcial. Por mais “íntimo” que seja aquele que O serve e, ainda que O sirva com total fidelidade e inteireza de coração, nada disso é prerrogativa para pecar e ficar impune. Está declarado que nosso Deus jamais terá por inocente aquele que peca. Independentemente de que maneira tenha pecado, se foi um “pecadinho” ou se foi um “pecadão”, este pecador para reassumir a condição de amigo de Deus tem que, obrigatoriamente, se arrepender e confessar seu pecado e, logicamente, ter aceitado a Jesus como o único salvador e Senhor.

O grande equívoco que o homem comete é pensar que tem domínio sobre o pecado. Muitas pessoas, inclusive alguns crentes, estão convencidas de que têm o total domínio da situação e que no momento em que acharem conveniente, elas, por si mesmas, se libertam dos grilhões do pecado. O diabo como é astuto e perspicaz se diverte com isso, ele deixa as pessoas, de fato, pensarem que tem o domínio para que no momento em que quiserem se libertar, então, perceberão o quanto estão prisioneiras em seus delitos e o quanto estão ofendendo gravemente a Deus.

Como temos ensinado sistematicamente o juízo de Deus é exclusivamente contra o pecado. Sendo assim, haverá um dia em que o Senhor aniquilará de vez com o pecado, porém devemos estar cientes de que a aniquilação não é no sentido de exterminar com o pecado. A aniquilação, neste caso, se aplica aos salvos em Cristo Jesus quando se fala da glorificação do corpo para entrar no Céu, neste caso sim, o pecado será aniquilado efetive e eternamente. Aos que morrerem sem abandonar suas praticas pecaminosas, sofrerão o juízo de Deus e, com seus pecados, serão lançados nos inferno, onde nem a eternidade consumirá efetivamente com o pecado.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.