É bom contar com pessoas nobres e fiéis a Deus .

Filipenses 2: 19-21
 “E espero, no Senhor Jesus, que em breve vos mandarei Timóteo, para que também eu esteja de bom ânimo, sabendo dos vossos negócios. Porque a ninguém tenho de igual sentimento, que sinceramente cuide do vosso estado; porque todos buscam o que é seu e não o que é de Cristo Jesus”.

Acredito que se Paulo vivesse em tempos hodiernos e se fosse pregador itinerante, com toda a certeza estaria passando fome. Ninguém em sã consciência pagaria para ouvir Paulo pregar. A visão dos dias atuais é a de que “se estou pagando, então quero ouvir o que me agrade”. A acusação que Paulo está fazendo é grave, contudo, é a mais contundente verdade. Já no tempo de Paulo se identificava, no meio da igreja, pessoas que estavam voltadas estritamente para os próprios “umbigos”. A prioridade era (e continua sendo) para alguns crentes os próprios e exclusivos interesses. Isso me faz lembrar um velho adágio que meu pai sempre pronunciava – “Farinha pouca, meu pirão primeiro”.

Notadamente aquele que se rebela não busca outra coisa senão aquilo que lhe convém, aquilo que ambiciona. Se os tendenciosos a rebeldia, pensassem nas coisas que beneficiassem o próximo, indiscutivelmente, ele não se rebelaria. Porém, na ânsia de provar para si mesmo de que tem capacidade ou, em alguns casos, de provar para os que o lideram de que é melhor que os líderes, o tendencioso a rebeldia se manifesta com uma política, teoricamente, ingênua.

Algum tempo atrás, ouvi o Pr Jorvali da Silva (Anchieta –ES) dizer, na ministração da aula de Teologia Sistemática, que hoje em dia tem mais igrejas que botequim, mas que, existem certas igrejas que seria melhor que fossem botequim. E, essa é uma verdade que quando os crentes ouvem ficam “alvoroçados” e não querem admitir, mas que infelizmente é uma realidade. Como sempre, gosto de esclarecer que não estou generalizando, estou apontando para certas igrejas que não contribuem em nada para o avanço e expansão do Evangelho do Reino. São igrejas que surgiram de divisões, rebeliões, resistências às ordenanças e, até mesmo, resistência às sãs doutrinas bíblicas e, com isso, a única coisa que conseguiram foi dispersar o rebanho do Senhor.

Atentem para a situação caótica que Paulo vivia em seu ministério. Havia tanta gente nas igrejas, mas não tinham compreendido ainda o que, realmente, significava “corpo”; com tantos obreiros à disposição, mas, infelizmente, ele não podia colocar sob seus cuidados, nem umas poucas “ovelhas”, porém, graças ao nosso Deus que sempre reservou para Si os remanescentes, Paulo encontrou em Timóteo as características de um verdadeiro e fiel servo de Deus e, isso se nota quando a primeira preocupação do líder é com o rebanho do Senhor.

Companheiro bom não é aquele que está sempre presente, mas sim, aquele que está sempre disposto a estender as mãos; companheiro bom não é aquele que trabalha mais que os outros, mas sim, aquele que cumpre cabalmente o que lhe foi determinado; companheiro bom não é aquele que te elogia o tempo todo, mas aquele que não lhe falta com a verdade; enfim, companheiro bom não é aquele que te ajuda nos momentos difíceis, mas aquele que te ajuda em qualquer tempo.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.