Boas festas!

Isaías 9: 6
Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”.

Estamos vivendo momentos em que muitos crentes, por medo de estarem pecando, pois foram ensinados que comemorar o Natal é pecado, ficam tolhidos de conviverem com seus familiares e, que por isso, são taxados de radicais. Conheço várias pessoas (crentes) que passam esses dias distantes de suas famílias por causa da sua religiosidade.

Estou ciente de que serei energicamente repudiado por causa deste artigo, todavia, estou em paz com minha consciência, sei que comemorando o Natal com minha família não estou cometendo nenhum pecado.

A Palavra de Deus repudia enfaticamente qualquer pastor, desde a igreja primitiva, que coloca obstáculos (costumes e tradições religiosas) no caminho dos que querem se achegar a Deus – “Portanto, assim diz o Senhor, o Deus de Israel, acerca dos pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e não as visitastes”. Não há outro discurso a proclamar senão o que já é do nosso conhecimento, ou seja, algumas pessoas colocaram sobre os ombros dos crentes cargas que elas nunca carregaram. O Natal é uma dessas cargas. Eles proibiam os membros da igreja de festejar mas, em suas mesas a ceia de Natal era farta – com direito a árvore, presentes e, pasmem, até papai Noel.

Qual é o problema de um crente festejar o Natal?
É o papai Noel? Ora, é inconcebível que exista algum crente (de fato) que ainda engane seus filhos com esse conto. Duvido muito que alguma criança que frequente Escola Bíblica Dominical desconhece a verdade sobre o Natal. A hipocrisia abunda na vida de alguns crentes de forma impressionante – não comemoram o Natal, mas quando vão passear no shopping com a família, nesta época, fazem “selfies” com o papai Noel e postam imediatamente nas redes sociais. Então, o problema do Natal não pode ser o papai Noel e, se não é ele, o que é então?

São as árvores e as luzes? Jesus deixou bem claro que o pecado não é estritamente aquilo que somente nós praticamos, mas, que pecar se aplica, também, em ser conivente com quem pratica. Então, do que adianta eu não ter minha árvore de Natal em casa, “por que é pecado”, mas fico fascinado com as ruas da cidade enfeitadas com as luzes. Não estou “pecando” da mesma forma? Você está entendendo?

Mas, alguém pode dizer que a troca de presentes, nesta época, não tem nenhum sentido com o nascimento de Cristo. Presta atenção numa coisa! Não estou dizendo que o Natal tem algo a ver com o nascimento de Jesus, só estou dizendo que não é pecado o crente participar desta data com sua família. Além do mais, o que você faz com o presente que ganha? Joga fora?

Sabemos perfeitamente, através de estudos, que Jesus não nasceu em Dezembro e, muito menos, no dia 25, porém isso não impede que festejemos a data com nossos entes e amigos queridos. Tenha sabedoria e discernimento espiritual e não se prive, e nem aos seus, desta data tão incomparável. Você só estará pecando se o conceito que o mundo tem do Natal influenciar você.

 Boas Festas e Feliz Ano Novo!

Erivelton Figueiredo.

Deus te abençoe.
Graça e Paz

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.