Em Adão, todos pecaram.

Romanos 5: 12
 “Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram”.

Sinceramente eu tento enxergar a dificuldade que muitas pessoas têm em entenderem essa questão de ser pecador por causa de Adão. E, pela falta do entendimento, tais pessoas querem atribuir a Deus um comportamento ou sentimento que não é próprio dEle – injustiça. Ora, ainda quando não existia ninguém além de Adão e Eva, o Senhor outorgou a ambos a responsabilidade de povoar a Terra. Ambos eram os primeiros e, por isso, os principais representantes de toda a humanidade que viria depois deles. Todos os seres humanos, após eles, seriam atingidos pelas consequências de seus atos.

Por mais que nosso argumento seja forte, nesta questão, de sermos pecadores por causa de Adão, ele não tem valor algum. Não adianta querer convencer Deus da nossa inocência, pois quando o Senhor diz na sua Palavra – “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”, subentende-se que Ele está dizendo que se todas as pessoas fossem submetidas a mesma tentação de Eva, indiscutivelmente, todas sucumbiriam. Então, diante disto, o que nos resta é admitir a nossa condição de pecadores e suplicar pelo perdão de Deus.

Em Isaías 45:7 temos declarado, pelo próprio Senhor, de que foi Ele quem criou o mal, todavia, temos que ter em mente que o mal, em si mesmo, não é pecado. Na declaração do Senhor ao concluir toda a Sua obra – “Tudo era muito bom”, implicitamente, podemos assegurar que, até aquele momento o pecado não existia, mas o mal sim. Como dissemos a pouco, o mal em si mesmo não é pecado, pecado é a sua prática. Entendam bem uma coisa, não estou dizendo que Deus criou o pecado, estou dizendo que, como Ele mesmo declarou, Ele criou o mal.

Para entendermos de uma maneira mais clara, vamos exemplificar da seguinte forma: uma arma de fogo – um revólver, o revólver em si mesmo não é pecado. Manusear um revólver apenas com o intuito de curiosidade, sem a intenção de atirar seja no que for não é pecado. O pecado se materializa quando se usa o revólver com fins destrutivos. NÂO SOU A FAVOR DO ARMAMENTO E, MUITO MENOS ESTOU DIZENDO QUE CRENTE PODE POSSUIR ARMA DE FOGO. Apenas o citei como um exemplo de que o mal em si mesmo não é pecado.

O pecado entrou na vida do ser humano, por instigação ou tentação diabólica, para que desobedecesse (a desobediência é pecado) à simples ordem de DEUS. O homem desobedeceu a DEUS, para obedecer ao diabo. A partir do momento daquela desobediência, todo o ser humano passou a ser pecador aos olhos de DEUS – “Desviaram-se todos e juntamente se fizeram imundos; não há quem faça o bem, não há sequer um

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Doutrina Cristã do Pecado – José Joaquim G. de Farias.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.