A criação de Eva, a primeira mulher.

Gênesis 2: 21-22
 “Então, o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas e cerrou a carne em seu lugar. E da costela que o Senhor Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão”.

Para os questionadores de plantão, esses que querem explicação detalhada de tudo quanto Deus fez, para que, num raciocínio lógico, toda criação possa ser compreendida com clareza, eis diante de vossos olhos (o versículo acima) a máxima evidência de que a alma e espírito de cada pessoa são criados simultaneamente com a origem de um novo ser. Em Eva o Senhor não soprou o folego de vida, todavia, ela era um ser com as mesmas características morais e espirituais que Adão. Ela não era um clone de Adão, pois, embora fosse geneticamente similar, contudo, as características morfofisiológicas eram completamente distintas.

Claro que temos consciência de que esse assunto jamais se esgotará. Sempre hão de surgir dúvidas em relação a determinado ponto, porém, em nenhum outro lugar encontraremos as respostas que, de fato, elucidem tais dúvidas, senão na Palavra de Deus. Então, esperamos que essa questão – como se origina a alma e o espírito, esteja resolvida. O que se comprova pela Escritura Sagrada é que ao ser fecundado o óvulo feminino pelo espermatozoide masculino (não existe outro meio de se dar origem a uma nova vida), neste exato momento, antes mesmo que esse óvulo receba a designação de embrião, todas as “informações” deste novo ser – características físico-espirituais (moral, caráter, personalidade, sexualidade e espiritualidade – alma e espírito) já estão inseridas nele. Eva quando passou a existir já tinha total compreensão do seu papel no mundo, ela não precisou ser instruída naquilo para o que foi destinada.

Em parte alguma da Escritura Sagrada, encontramos alguma referencia sobre ensinar as pessoas sobre aquilo que devem ser, refiro-me a sexualidade. Não há uma palavra sequer, na Bíblia, orientando os pais a ensinarem os meninos a serem homens ou as meninas a serem mulheres no sentido implícito da sexualidade. Meninos e meninas já nascem sabendo o que são, ambos já trazem desde o ventre materno essa distinção. Meninos sempre terão, em si mesmos, todas as características de indivíduos do sexo masculino – machos, concomitantemente com a sua genitália. Da mesma forma ocorre com as meninas, concomitantemente a sua genitália com todo o conjunto do ser determina que ela é um ser do sexo feminino – uma fêmea.

Nosso Deus não teve que instruir Eva sobre o seu papel de fêmea junto ao macho. Reforçando o que já temos falado, o fato de ter sido criada da “costela” de Adão denota que ambos se completam, isto é, um nada é sem o outro.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.