O batismo e a unção de Jesus.

Lucas 3: 22-23
 “E o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como uma pomba; e ouviu-se uma voz do céu, que dizia: Tu és meu Filho amado; em ti me tenho comprazido. E o mesmo Jesus começava a ser de quase trinta anos, sendo (como se cuidava) filho de José, e José, de Eli”.

Estamos diante de mais um tema polêmico entre os cristãos evangélicos e, diga-se de passagem, é um tema que causa divisão entre o povo que diz que vai morar no Céu. Mas, como pode alguém morar no Céu tendo um coração contencioso? Estão fazendo do Evangelho de Cristo o mesmo que Israel fez com a Lei de Deus – cada grupo denominacional com suas interpretações peculiares do Evangelho, impondo exigências para a salvação e, uma das muitas exigências, é o batismo. Afinal de contas, quem está certo? Os que imergem? Os que aspergem? Ou, ou os que apenas derramam água? Os que estiverem “errados” em sua prática não entrarão no Céu?

Sobre o termo “batismo”, temos a seguinte definição pelo dicionário bíblico Wycliffe: o termo batismo tem sua raiz nos substantivos gregos “baptismos” e “baptisma”, verbos gregos “baptizo” e “bapto”. Três opiniões diferentes são sustentadas com relação ao verdadeiro significado de batismo: Os batistas e outros que batizam por imersão sustentam que significa a identificação do crente com a morte, sepultamento e ressurreição de Cristo e, portanto, insistem que isto deva ser feito através de uma completa imersão nas águas do batismo. Aqueles que praticam o derramamento de água sustentam que significa o derramamento do Espírito Santo sobre o crente, e ser cheio do Espírito. Os reformistas, metodistas e anglicanos, que aspergem, sustentam que o batismo significa a purificação dos pecados do crente através do sangue de Cristo. Estes, e aqueles que derramam água sobre aqueles que estão sendo batizados, batizam crianças, enquanto que os “imersionistas” batizam somente aqueles que alcançaram uma maturidade suficiente para crerem pessoalmente em Cristo.

Na declaração de fé das Assembleias de Deus, que é a nossa regra denominacional de conduta como cristãos evangélicos, diz que o batismo em águas é um ato importante e repleto de significados espirituais, que é administrado pela Igreja ao crente, mediante arrependimento e confissão de fé, onde quer que o evangelho seja pregado. Nós o efetuamos por imersão do corpo inteiro uma única vez em águas, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. A palavra “batismo” significa “mergulho, imersão”. As evidências do Novo Testamento não deixam dúvida sobre esse procedimento. João Batista batizava em Enom: “porque havia ali muitas águas; e vinham ali e eram batizados”. Quando o Senhor Jesus foi batizado, está escrito que, após o ato, ele “saiu logo da água”. Não foi diferente no batismo do eunuco da rainha da Etiópia: “e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou. E, quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe”. O batismo simboliza a morte, sepultamento e ressurreição de Cristo, deixando claro que se trata de uma prática imersionista: “De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida”. Trata-se de um ato público de fé no qual, de modo simbólico, sepultamos a vida antiga e ressuscitamos com Cristo para uma nova vida.

Segundo a Confissão de Fé de Westminster o batismo é um sacramento do Novo Testamento, instituído por Jesus Cristo, não apenas para solenemente admitir o crente na igreja, mas também para servir-lhe de sinal (testemunho) e selo do pacto da graça; de sua união com Cristo; da sua regeneração; da remissão de seus pecados e, também da sua consagração a Deus por Jesus Cristo a fim de andar em novidade de vida. é um sacramento que deve continuar na Igreja de Cristo até o fim de todas as coisas.

Enfim, permanecendo o símbolo, as formas, mesmo com variações exageradas, não alterarão o simbolismo, não modificarão os significados. Os meios utilizados não importam: tanques, piscinas, jarros, taças, pias e hissopos – “Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve”, desde que a denominação que esteja recebendo o batizando seja bíblica e esteja engajada no cristianismo mundial e por ele aceita.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Dicionário Bíblico Wycliffe
– Declaração de Fé das Assembléias de Deus, pags 103 e 104
– Confissão de Fé de Westminster, pag 280

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.