Jesus Cristo é o nosso modelo de perfeição.

Hebreus 12: 2
 “Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus”.

Conta-se uma passagem que serve como ilustração sobre a fé de que um exímio equilibrista estava se apresentando para um grande público e que nesta apresentação ele atravessava, andando por sobre uma corda, de um edifício para o outro sem nenhuma proteção de segurança. Em um dado momento de sua apresentação ele caminhou por sobre a corda empurrando um carrinho de mão e foi e voltou ao ponto de partida repetida vezes. O público impressionadíssimo com a postura daquele homem sobre a corda, aplaudia efusivamente admirados com a habilidade, o equilíbrio e a confiança que ele transmitia na execução do seu espetáculo. Todavia, não houve ninguém que ousasse a aceitar o convite que ele fez: o de atravessar com ele aquela corda, estando a pessoa sentada dentro do carrinho de mão.

As multidões que acompanhavam Jesus, seguindo-O por todos os lugares, estavam interessadas (a grande maioria das pessoas) apenas nas coisas que pudessem satisfazer as necessidades físicas – fome e enfermidades. O “show” que Jesus realizava dando vista a cegos, fazendo mudos falarem, coxos andarem, oprimidos sendo libertos e, mortos ressuscitarem era algo inusitado para aqueles dias. Não que eles nunca tivessem visto algo semelhante, mas, a realização de tantos milagres operados apenas por um homem, era a primeira vez. Me arrisco a dizer (sem medo de exagerar) que a grande maioria daquelas pessoas não estavam com seus olhares fixos na pessoa de Jesus. A atenção delas estava nos milagres, a admiração era pelos feitos realizados e, pouco se importavam com quem estava realizando os prodígios – “E o que fora curado não sabia quem era, porque Jesus se havia retirado, em razão de naquele lugar haver grande multidão”.

Olhar para Jesus, conforme o versículo acima sugere, implica numa atitude que vai muito mais além do que uma singela observação. Olhar para Jesus não é estar atento somente nas “coisas” que Ele está realizando, antes, o olhar para Jesus nos ordena a compreender a razão pela qual Ele está realizando tantas coisas à nosso favor.

Dos “heróis” que estão descritos na galeria da fé, no capítulo 11 da carta aos Hebreus, Jesus suplanta todos eles em fé, determinação, obediência e submissão ao que o Deus Pai tinha lhes proposto. Nosso Senhor Jesus suportou muito mais do que qualquer um daqueles “heróis”. Ele suportou a cruz! Sua crucificação envolveu vergonha, sofrimento e até mesmo a rejeição temporária da parte do Pai – “Eloí, Eloí, lemá sabactâni”. Na cruz, Cristo sofreu por todos os pecados de todo a humanidade.  No entanto, perseverou e consumou a obra da qual o Pai o havia incumbido.

O que deu forças para que nosso Senhor suportasse a cruz? Foi Sua fé que lhe permitiu perseverar. Ele manteve os olhos da fé fixos na “alegria que lhe estava proposta”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Novo Testamento – Warren W. Wiersbe

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.