Homens que se destacaram pela perfeição.

Ezequiel 14: 14 e 20
 “Ainda que estivessem no meio dela estes três homens, Noé, Daniel e Jó, eles, pela sua justiça, livrariam apenas a sua alma, diz o Senhor Jeová. Ainda que Noé, Daniel e Jó estivessem no meio dela, vivo eu, diz o Senhor Jeová, que nem filho nem filha eles livrariam, mas só livrariam a sua própria alma pela sua justiça”.

Em toda a extensão da Bíblia, estamos enfaticamente avisados de que a salvação é um assunto pessoal. É uma obra que nosso Deus realiza individualmente a todo e qualquer ser humano que, convencido de seu deplorável e irreversível estado, aceita Jesus Cristo como salvador e senhor de sua vida. Homem nenhum tem autoridade para promover a salvação alheia. O máximo que conseguimos é orientar as pessoas sobre as verdades bíblicas. NINGUÉM GANHA ALMA PARA JESUS. Homem algum pode convencer o outro do pecado, isso é obra do Espírito Santo de Deus.

O assunto que o profeta Ezequiel mais chama a atenção aos leitores é a responsabilidade pessoal. Deus não pune ninguém por causa do pecado dos outros, bem como não livra ninguém por causa da justiça de alguns. Esse princípio é deixado bem claro tanto na lei de Moisés quanto na aliança que Deus fez com Israel. A única vez que Deus abandonou esse princípio foi quando Jesus Cristo morreu na cruz, pois sofreu pelos pecados do mundo todo. Quando cremos em Jesus como nosso Salvador e Senhor, recebemos a dádiva de sua justificação, e Deus nos aceita em função de seu Filho.

O contexto no qual está inserido o texto base para esse artigo, o capítulo 14 de Ezequiel, nosso Deus está advertindo os anciãos de Israel sobre os juízos que estão por vir sobre a nação e, despertando-os para a responsabilidade individual de cada homem, por quatro vezes o Senhor os alerta sobre isso. O povo israelita tinha muita confiança na justiça de outros homens, eles confiavam que por causa da santidade de alguns o Senhor voltaria atrás nas Suas Palavras.

A “novela” se repete, temos muitos crentes firmemente apoiados na justiça de outros crentes, porém, o problema se agrava quando alguns “justos” se exaltam convencidos de que são capazes de demover Deus dos Seus propósitos. O que tem de “justo” assumindo a responsabilidades dos outros diante de Deus, é espantoso. “Vou orar para você, ponha o seu nome e sua necessidade no saquinho”; “vou jejuar para você”; “vou subir ao monte para você”; enfim, toda responsabilidade inerente a cada pessoa está sendo terceirizada e o mais espantoso é que tem quem acredita nisso.

Também, no tempo de Jesus, a “fé” de muitos judeus estava posta em Abraão o “pai”. Eles se fiavam na justiça imposta a Abraão e criam piamente que estariam livres de qualquer juízo por causa disto.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Antigo Testamento – Warren W. Wiersbe

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.