Cristo foi enviado por Deus para salvar os pecadores.

João 3: 16-18
 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus”.

Se há um ponto sobre a questão da salvação onde não pode haver divergência de opiniões é que o homem é salvo, justificado, regenerado e santificado (posicionalmente) exclusivamente por obra da misericórdia e da graça de Deus. Também, não há no que divergir sobre a obra realizada pelo Espírito Santo naqueles que hão de ser salvos – convencer do pecado – e, por fim, é do conhecimento de todos que Jesus, o Cristo, é o único meio pelo qual o homem pode ser salvo. Ainda que Deus queira salvar a todos e, para isso, o Espírito Santo convença alguns desta necessidade, entretanto, só poderão ser salvos os que de fato crerem no sacrifício de Jesus. Observaram que a salvação só é possível quando há o operar concomitante do Pai, do Espírito Santo e do Filho?

De uma forma mais clara e fácil de entender, a salvação só pode ser concretizada quando o operar das três pessoas da Triunidade é perfeitamente compreendido e aceito pelo pecador. Desta forma, se Deus, o Pai, quer salvar o homem, nada Ele pode fazer se o Espírito Santo não convencer o homem desta necessidade; se Deus, o Pai quer salvar o homem e o Espírito Santo convence o homem desta necessidade, nada o Filho pode fazer se homem não for até Ele. E ainda que o homem vá até o Filho sem que o Espírito Santo o tenha convencido da sua condição (infelizmente é o que mais se vê), não haverá salvação. Imagine a seguinte situação: João está no meio de uma estrada deserta com o carro parado por falta de combustível. Sem que João ligasse para pedir socorro, de repente aparece outra pessoa e, após um diálogo esta pessoa constata que além da falta de combustível no carro o João está sem dinheiro. Então essa pessoa tira algum dinheiro do bolso entrega a João e, antes de ir embora, diz-lhe: – vá comprar o combustível.

Ora! O raciocínio mais lógico é que João iria comprar o combustível, mas acontece que no percurso até encontrar um posto de combustível, João se deparou com outras coisas que lhe chamavam a atenção. Coisas que João por certo tempo resistiu, mas que, por não encontrar de imediato um posto de combustível, João acabou por gastar o dinheiro com outras coisas. João não entendeu qual era a prioridade em sua vida. Embora seja grotesca, essa ilustração serve para exemplificar como é a obra salvífica de Jesus Cristo.

Ainda que sejamos convencidos pelo Espírito Santo da nossa necessidade, se não colocarmos essa necessidade como prioridade em nossa vida, não alcançaremos a salvação.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.