A salvação é alcançada somente pela graça de Deus.

Efésios 2: 8-10
 “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas”.

Nada pior para uma igreja do que um bando de gente como membros, sem noção alguma do que realmente significa a cruz de Cristo. Por incrível que possa parecer, muitas pessoas dentro da igreja veem Jesus Cristo como um mártir e, até mesmo, como um herói – “Meu grande herói, não tinha cavalo branco; Armadura reluzente, nem espada e nem escudo”. E, em consequência de as pessoas não compreenderem a obra que Jesus realizou na cruz, irremediavelmente, não compreenderá o papel que devem desempenhar como igreja. Insisto em dizer que não fomos salvos para sermos frequentadores de igreja, melhor que isso, nós somos a igreja.

A doutrina bíblica que trata sobre a “Eleição do salvos”, é totalmente racional, ou seja, ela é completamente compreensível desde que se aceite quem Deus é. Os atos de Deus que garantem a salvação, conversão e santificação do homem pecador (toda a humanidade), estão fundamentados na Sua infinita graça. Independentemente de como o Senhor Deus vai operar para cumprir os seus desígnios na salvação, conversão e santificação do salvo, Ele o faz de acordo com um plano prévio, conforme o Seu desígnio, e do modo que quer. Ele é Soberano. Esta é uma verdade universal, e viva, que seja o que for que Deus faça a favor da salvação do ser humano, Ele o faz de modo planejado para que haja a segurança quanto à salvação de todos aqueles que foram e daqueles que ainda serão salvos.

Embora, encontremos na Bíblia Sagrada algumas passagens que insinuem que o próprio Deus tenha recusado deliberadamente salvar algumas pessoas, isto é, a estas pessoas foi negado o acesso ao Céu, isso, de fato, não ocorre desta forma. Deus também faz muito a favor da salvação dos “não escolhidos”, no sentido de usar para com eles os mesmos meios capazes de garantir a segurança necessária que propicie a salvação destes. Não obstante, Ele mesmo já sabe que não haverá sucesso na tentativa de garantir a salvação destes, por causa da voluntária e perseverante maldade que possuem em si mesmos. Contudo, mesmo assim, nosso Deus vê como um fato importante, manifestar prontidão para salvar a estas pessoas, e utilizar os meios capaz de salvá-las, e estes meios serão de tal modo favoráveis à salvação, que estas pessoas serão, finalmente, vistas como completamente indesculpáveis por não serem salvas.

Toda a humanidade (com exceção daqueles que são mentecaptos) admite que Deus é sábio e bom. Em vista disto, estamos seguros ao afirmar que Ele não deve ter tido outras razões, senão a sua própria graça, para a eleição de alguns para a vida eterna, em detrimento de outros, por isso, podemos afirmar que a eleição não está fundamentada sobre, e nem implica em qualquer parcialidade por parte de Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Teologia Sistemática – Charles Finney

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.