Os eleitos devem vigiar para não cair e perderem a salvação.

I Coríntios 10: 12
 “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia”.

Este versículo é o inicio da conclusão de uma seção do capítulo 10 da primeira carta que Paulo escreveu aos crentes de Corinto. É uma seção de enfáticas advertências a respeito do descuido com a conduta espiritual que a “nova criatura”, que é o homem convertido, deve observar com esmero para não incorrer no mesmo erro que Israel cometeu. Paulo adverte os crentes de Corinto para não se fiarem em ensinos que asseguram que uma vez salvo, o eleito não corre o risco da condenação. Paulo lembrou os crentes de que muitos dos que participaram das inúmeras bênçãos derramadas sobre os israelitas no êxodo, não chegaram a terra prometida.

Satanás trabalha arduamente para convencer as pessoas a se sentirem confortáveis com seus pecados, pessoas essas a quem me refiro, são as que estão dentro das igrejas e, para isso, ele tem usado muitos pregadores influentes e influenciadores para convencer as pessoas de que Deus não é tão rigoroso quanto diz ser. De fato, eles estão certos, Deus não é rigoroso, Ele é justo. Muitas mentiras que tem sido anunciadas nos púlpitos das igrejas, estão deixando alguns incautos convencidos de que Deus abrirá uma exceção para o seu “caso” e, por isso, receberá uma sentença mais branda para a vida pecaminosa que leva.

A eleição divina para a vida eterna, não assegura ninguém de entrar no Céu. Tomemos como exemplo quando elegemos algum candidato para exercer um cargo politico. Tal candidato pode até ser eleito para o exercício do cargo, mas o nosso voto, que o elegeu, não é nenhuma garantia de que ele tomará posse ou, se for empossado, que finalize seu mandato. Deus nos elegeu para sermos salvos e não para nos salvar a qualquer custo. E, uma situação é totalmente distinta da outra.

Quando o Senhor Deus, antes da fundação do mundo, nos elegeu para ser salvos pelo sacrifício de Jesus, o Senhor delimitou que até a cruz toda a obra salvífica é realizada exclusivamente por Ele (Triunidade), independente, do livre arbítrio do homem – Deus quis salvar o homem – entretanto, a partir da cruz, há a cooperação do homem para a conclusão dos Seus propósitos. Neste caso, então, a conclusão é óbvia: mesmo que eu tenha sido um escolhido para ser salvo e, isso pode acontecer de fato, todavia, somente serei salvo de fato se eu conduzir minha vida em conformidade com a expressa vontade de Deus. Que vontade é essa? Pode alguém perguntar. Ora, são os parâmetros que estão estabelecidos na Bíblia Sagrada que é a Inerrante, Infalível e Inspirada Palavra de Deus e que devem ser observados com zelo para que, agradando Aquele que nos elegeu, possamos permanecer salvos até o fim.

Em simples palavras, o que Paulo está nos dizendo é que nem sempre um bom início é garantia de um final feliz. Em suma, a responsabilidade de permanecer de pé é nossa.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.