O triunfo sobre a morte está assegurado aos salvos.

I Coríntios 15: 56-57
 “Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo”.

Eu diria que estes versículos da carta aos Coríntios são as chaves mestras para a compreensão do que o pecado representa na vida do homem. Quando conseguimos alcançar o que eles nos revelam sobre a malignidade do pecado, eles se tornam como uma mola propulsora nos impelindo a desejar cada vez mais viver de maneira irrepreensível diante de Deus e dos homens. O crente que vive e função de honrar e glorificar o nome de Deus neste mundo vil deve, impreterivelmente, “brilhar” neste mundo com toda a intensidade que a luz de Cristo é capaz de proporcionar. Consciente de que a Luz que irradia de si, não tem origem em si mesmo, o crente sabe que é apenas o “veículo” por meio do qual essa Luz torna-se conhecida ao mundo.

Antes de entender que não pode viver pecando, o crente deve saber com clareza o que é o pecado. Pecado é todo o tipo de comportamento, pensamento e sentimento que contraria aquilo que nosso Deus é. Então, desta forma, sendo o nosso Deus Justo, qualquer atitude nossa que denote injustiça, é vista como pecado – “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer essas coisas e não omitir aquelas”; sendo o nosso Deus Bom, qualquer pensamento que nos conduza a se desviar desta virtude é tido, por Deus como pecado – “Eu porém, vos digo que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar já em seu coração cometeu adultério com ela”; e, por fim, sendo o nosso Deus misericordioso para conosco, quando não exercemos misericórdia para com o nosso próximo estamos pecando contra Deus – “Pelo que, tendo recebido um Reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente com reverência e piedade; porque o nosso Deus é um fogo consumidor”.

Ao dizer que o pecado é o aguilhão que propicia a morte, Paulo está nos ensinando que o pecado não causa a morte somente, pior do que isso, o pecado antes de levar a pessoa à morte de fato, causa um sofrimento indescritível. O aguilhão, neste caso, seria o mesmo que a “ferrão” venenoso do escorpião, ou seja, a picada do escorpião não causa a morte instantânea, antes provoca um sofrimento horrível acarretando dores insuportáveis. Assim é o pecado.

Logo em seguida, Paulo diz que o que sustém o pecado é a lei, ou seja, a lei não induz o homem ao pecado, mesmo porque a lei é santa, justa e boa, antes a lei revela o quanto o homem é pecador, intensificando nele a sua culpa. Embora seja santa, justa e boa, a lei não tem nenhum poder de inocentar o homem dos seus atos. Somente em Jesus podemos alcançar o perdão dos nossos delitos.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.