Os pecados nos afastam de Deus e impedem as nossas orações.

Isaías 59: 1-2
 “Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem o seu ouvido, agravado, para não poder ouvir. Mas as vossas iniquidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”.

A vida eterna a qual estamos predestinados, nós os eleitos e redimidos, está condicionada a maneira como conduziremos a nossa vida neste mundo. Embora estejamos livres para conduzir as nossas vidas como preferirmos, todavia, Deus tem estabelecido um parâmetro ideal de como devemos nos conduzir aqui neste mundo. A nossa liberdade não nos dá o direito de, agora feitos filhos de Deus em Jesus Cristo, nos comportar indevidamente e de forma incoerente com o que Deus exige que sejamos. Ainda que tenhamos a natureza pecaminosa, o pecado não pode mais nos subjugar, o jugo do pecado Jesus tirou de sobre nós.

Estamos cientes de que o pecado não é uma “coisinha” que aborrece a Deus e que com o tempo vai ser esquecido ou apagado da lembrança. O pecado é algo abominável aos olhos do Senhor e que só pode ser escondido pelo precioso sangue que Jesus verteu na cruz. Deus não age como homem que releva algumas situações por julga-las insignificantes.

Nestes dois primeiros versículos do capitulo 59 de Isaías, o Senhor está dando uma resposta ao que o povo questionava no capitulo 58 (vers 3). O povo estava argumentando que estava fazendo tudo o que a lei prescrevia, em contrapartida Deus não estava fazendo caso dos jejuns, orações e humilhação deles diante de YHWH. O Senhor, então, responde o povo garantindo de que Ele não mudara em nada em seu relacionamento com eles. Ele continuava desejoso de abençoa-los, de receber suas adorações e louvores, porém, o problema não estava nEle.

É impressionante como que as pessoas tendo consciência de que estão vivendo fora dos padrões que Deus exige e, ainda assim, querem ser atendidas em suas suplicas e orações, querem que seus jejuns e humilhações sensibilizem Deus. A quantidade de gente que está dentro das igrejas vivendo um cristianismo dissimulado é impressionante e, são exatamente essas pessoas que querem demonstrar uma santidade exacerbada. Dentro das igrejas (e só dentro mesmo) são as mais “USADAS” pelo espirito (escrevi com letra minúscula porque temos que discernir que espirito usa essas pessoas). Nada como uma conversa informal para ver como a máscara de santidade destes crentes cai. O “nível” de espiritualidade de um crente não é medido pelo o quanto ele sabe da Bíblia, mas pelo quanto ele vive (na prática) dela.

Querer abençoar, Deus quer, todavia Ele é JUSTO. Se até do próprio Filho, Ele virou o “rosto”, quando Jesus, na cruz, tomou sobre Si os nossos pecados, porque Ele toleraria as nossas iniquidades diante de Si? Porque Ele faria vista grossa para as nossas transgressões?

Não nos enganemos achando que o Senhor não nos respondeu ainda por que não é o tempo dEle responder, pode ser que ele nem ouviu o que falamos. Mas, não ouviu porque não quis ouvir e, sim por que o abismo que abrimos entre Ele e nós com os nosso delitos, impediu que nossas orações chegassem até Ele.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.