Cristo derrubou a parede de separação entre Deus e o homem.

Hebreus 9: 15
 “E, por isso, é Mediador de um novo testamento, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna”.

Perdoa-me a equipe pedagógica da CPAD, mas não concordei com o versículo proposto para o tema desta leitura diária. Efésio 2: 14, nem fazendo muito esforço, aliás, nem fazendo interpretações mirabolantes, se “encaixa” com o título “Cristo derrubou a parede de separação entre Deus e o homem”. Sendo assim, tomei a liberdade de usar um versículo que esteja coerente com o título para que o comentário esteja contextualizado com o que propõe o versículo bíblico.

Em nenhum momento da história desde a criação até o fim de todas as coisas e, muito menos, em algum lugar na Bíblia Sagrada encontramos alguma insinuação de que a distinção racial ou religiosa é tida como a razão da separação entre Deus e o homem. O que separou o homem de Deus foi, e continua sendo, o pecado. O título da lição é muito claro – Cristo é a nossa reconciliação com Deus -, por isso, entendo que esteja apontando para a condição de todos os homens que, sendo pecadores, são reconciliados com Deus, e não que, primeiro Jesus promoveu a conciliação entre gentios e judeus para que pudessem, posteriormente, serem reconciliados com Deus.

A modernidade nos trouxe muitas facilidades. Nossa vida ficou muito mais fácil. A tecnologia, que não para de avançar, nos permite hoje em dia, escrever com mais rapidez e só erramos (digo em relação às palavras) se estivermos muito desatentos, pois, os softwares dos aplicativos de redação já estão programados para não deixar que escrevamos errado. É a perfeição? Não! Mas, tornou a nossa vida muito mais fácil. Tão fácil que podemos “copiar” o texto que quisermos independente do tamanho (desde que esteja disponível para isso) e “colarmos” onde desejarmos com, apenas, o uso de duas teclas de nossos aparelhos, o “control C e o control V”. Ficou muito fácil a nossa vida? Sim ficou, só que incorremos em um grave perigo, não de escrever errado as palavras, mas o de expressar equivocadamente uma ideia, pois, na maioria das vezes “copiamos” e “colamos” um texto sem nos dar conta do que ele está propondo.

A distinção a que Paulo se refere na carta escrita aos crentes de Éfeso, fala da “distinção” entre judeus e gentios que foi estabelecida por Deus para que os seus propósitos de salvação pudessem se cumprir. Mas, uma vez que esses propósitos foram cumpridos, deixou de haver qualquer diferença. Na verdade, fazia parte do plano Divino que tal distinção fosse eliminada para sempre, o que ocorreu por intermédio da obra de reconciliação realizada por Cristo. Entenda a reconciliação, neste caso, como sendo realizada entre Deus e o homem, porque em Cristo todos somos um.

A “parede” citada por Paulo –“derribando a parede de separação que estava no meio”, fala de questões religiosas e étnicas que separavam judeus e gentios. A “parede” que separa o homem de Deus é o pecado, e ela é removida em Cristo, quando cremos em seu sacrifício.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.