Aos filhos que obedecem e honram seus pais uma dupla promessa é assegurada.

Efésios 6: 2-3
 “Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa, para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra”.

O crente da Nova Aliança, do Novo Concerto, não vive sob a égide da Lei, mas sob a justiça concernente à Lei. Não são os mandamentos divinos que regulam a vida do crente do Novo Testamento, mas os crentes vivem sob a justiça que os mandamentos divinos promovem. Estamos libertos, por Cristo, tanto da maldição da lei quanto da sua escravidão, contudo, devemos estar conscientes de que essa liberdade não nos permite negligenciar, ignorar, desprezar ou invalidar os mandamentos divinos. O fato de estarmos justificados em Cristo demonstra o quanto somos obedientes aos preceitos do Senhor. Entendeu? Não precisamos mais praticar as Leis, mas, inquestionavelmente, temos que praticar a sua justiça diariamente.

“Honrar” os pais significa muito mais do que simplesmente obedecer a eles. Significa mostrar respeito e amor por eles, cuidar deles enquanto precisarem de nós e procurar honrá-los pela maneira como vivemos.

O quinto mandamento é o único acompanhado de uma promessa: “para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor, teu Deus, te dá” e, da mesma forma que é errado para um crente de hoje desonrar aos pais, também o era para um judeu do Antigo Testamento. Ainda que, a princípio, essa promessa tenha sido feita exclusivamente ao povo de Israel, quando entrou em Canaã, Paulo faz uma excelente aplicação deste mandamento aos crentes de hoje, dizendo que o filho que honrar aos pais pode esperar duas bênçãos – As coisas irão bem para ele e ele terá vida longa na Terra. Todavia, isso não significa que todas as pessoas que morreram jovens desonraram os pais. O que Paulo está declarando é um princípio: quando os filhos obedecem aos pais no Senhor, muitos pecados e perigos podem ser evitados bem como, muitas coisas que podem ameaçar ou encurtar sua vida. Entretanto, a vida não é medida apenas pela extensão de tempo, mas também pela qualidade da experiência em todo o seu percurso. Deus enriquece a vida do filho obediente, indiferente de quanto dure aqui na Terra. Por um lado pecado sempre empobrece e, por outro, a obediência sempre enriquece.

Assim, o filho deve aprender a obedecer ao pai e à mãe, não apenas porque são seus pais, mas porque Deus assim exige. Desobedecer aos pais é uma forma de rebelião contra Deus. A realidade que muitos lares cristãos vivem hoje é decorrente da rejeição à Palavra de Deus – “E, como eles se não importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convém; estando cheios de toda iniquidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes ao pai e à mãe”. O filho é, por natureza, egoísta, mas, pelo poder do Espírito Santo, pode aprender a obedecer aos pais e glorificar a Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Novo Testamento – Warren W. Wiersbe

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.