A certeza do atendimento à oração.

Lucas 11: 5-13
 “Disse-lhes também: Qual de vós terá um amigo e, se for procurá-lo à meia-noite, lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, pois que um amigo meu chegou a minha casa, de caminho, e não tenho o que apresentar-lhe; se ele, respondendo de dentro, disser: Não me importunes; já está a porta fechada, e os meus filhos estão comigo na cama; não posso levantar-me para dar. Digo-vos que, ainda que se não levante a dar, por ser seu amigo, levantar-se-á, todavia, por causa da sua importunação e lhe dará tudo o que houver mister. E eu vos digo a vós: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á; porque qualquer que pede recebe; e quem busca acha; e a quem bate, abrir-se-lhe-á. E qual o pai dentre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou também, peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou também, se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Pois, se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?”

É tempo de avivamento!

Novo trimestre se inicia e muitas igrejas ainda não decidiram o rumo que irão tomar em suas EBDs. Particularmente, eu vou comentar os devocionais diários da edição especial que a CPAD preparou para essa ocasião – Os Princípios Divinos em Tempos de Crise – A reconstrução de Jerusalém e o avivamento espiritual como exemplos para os nossos dias e, estarei postando no Blog, como sempre faço. Como sempre, a CPAD nos apresenta um glorioso trabalho do saudoso Pr. Eurico Bergsten que, sem duvida alguma, veio para nos edificar cada vez mais nestes dias tenebrosos.

O assunto proposto para o trimestre é muito próprio para o momento que o mundo vive. Indiscutivelmente as trevas, a cada dia que passa se tornam cada vez mais “espessas”. Nós, desta geração, estamos testemunhando “com os próprios olhos” o cumprimento de muitas profecias bíblicas. Como sempre, tenho ensinado que o crente diante destas situações não pode ficar estupefato ou espantado como os do mundo, nós, os crentes, ficamos sim maravilhados como as profecias têm se cumprido com extrema fidelidade e, é claro, não podia ser de outra forma.

Nada, absolutamente nada, que acontece neste mundo é de improviso, tudo é predeterminado ou devidamente permitido por Deus. Esta “suposta” pandemia do Corona vírus é um ensaio ou, até mesmo, uma preparação para a revelação do anticristo. Em ambos os casos, se predeterminado ou permitido por Deus, a finalidade é uma só – PREPARAR A IGREJA PARA O ARREBATAMENTO. Provavelmente muitos vão dizer que a Igreja de Cristo não precisa ser preparada para ser arrebatada, afinal de contas ela tem que estar preparada a todo tempo. Realmente a IGREJA de CRISTO está preparada, mas o problema é que tem muitos membros desta igreja despercebidos do momento em que vivemos e, que precisam ser despertados para o que realmente eles (os crentes) representam diante do mundo.

Muitas são as passagens bíblicas que poderíamos citar e que, analogicamente, representam fielmente o que estamos vivendo em pleno século 21. Todavia, para não ficar muito extenso, vou citar o que o profeta Jeremias escreveu em Lamentações – “Espiaram os nossos passos, de maneira que não podíamos andar pelas nossas ruas; está chegando o nosso fim, estão cumpridos os nossos dias, porque é vindo o nosso fim”.

“Espiaram os nossos passos” tem a conotação de estar sendo vigiado o tempo todo. Tudo quanto se faz; tudo quanto se fala; tudo quanto se compra; tudo quanto se vende; enfim, estamos sendo monitorados 24 h por dia, até a quantidade de horas que alguém dorme é do conhecimento daqueles que nos vigiam. Enfim, embora não vejamos ninguém seguindo nossos passos, a tecnologia da qual fazemos uso incessante e que se tornou algo imprescindível no nosso dia-a-dia é a maior e mais eficaz ferramenta nas mãos daqueles que querem tolher nossa liberdade assegurada por lei.

“Não podíamos andar pelas nossas ruas” – é extraordinário como Jeremias, cerca de 2600 anos atrás, escreveu sobre algo que a igreja viveria em seus dias. Embora estas palavras se referem ao impedimento dos israelitas transitarem em suas ruas em virtude do cativeiro, elas se aplicam perfeitamente ao que estamos vivendo nestes últimos dias. Em todo território brasileiro (creio eu que sejam todos) as igrejas foram proibidas de abrirem suas portas para exercerem as atividades do culto. E, a grande maioria das igrejas, com exceção de algumas, fecharam suas portas e, pasmem, muitos crentes, mas digo muitos mesmo, regozijaram de alegria porque não precisavam ir a igreja.

Por isso, nós dissemos que é tempo de aviamento, pois João escreveu o seguinte – “Em sua mão tem a pá, e limpará a sua eira, e recolherá no celeiro o seu trigo, e queimará a palha com fogo que nunca se apagará”. Então, meu querido (a) leitor (a) se você pensa que é trigo saiba que a única coisa que interessa ao Senhor em toda a planta é o grão, o resto tem que ser extirpado. Ainda há tempo! Aviva-te! Peça ao Senhor e Ele te concederá o Espírito Santo para promover isso em você.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.