O poder de Deus sobre os anciões.

Esdras 5: 5
 “Porém os olhos de Deus estavam sobre os anciãos dos judeus, e não os impediram, até que o negócio veio a Dario, e, então, responderam por carta sobre isso”.

Não é nenhuma novidade o fato de que tudo quanto o povo de Deus intenta em realizar sempre surgem os empecilhos. Hora a oposição vem dos de fora, hora vem dos dentro, mas sempre há alguma “coisinha” para obstruir o avanço. Independente se as oposições vêm de fora ou de dentro, o fato é que àqueles que se opõe devem ser tratados como inimigos do Reino de Deus. Como diz um pastor, amigo meu, não podemos estimar as pessoas em detrimento ao Evangelho de Cristo, isto é, entre dar honra uma pessoa mesmo que seja crente e zelar pelo Evangelho, zele pelo Evangelho.

A preciosidade com que os fatos são narrados na Bíblia Sagrada e a riqueza de detalhes nos faz “ver” quão bela era a estrutura do Templo. Dentro da concepção dos judeus, já que estavam construindo a “casa de Deus”, então teria de ser algo extraordinário. Os registros bíblicos nos diz que era tão imponente a obra que despertou a curiosidade dos inimigos, eles não sabiam se era apenas um templo ou se era uma fortaleza de tão robusta que era a estrutura. Por isso, Tatenai, o governador, investiga sobre o que de fato estavam construindo e quem estava envolvido naquela obra.

O que os inimigos tentam se convencer é de que nós, como mordomos de Deus, é quem zelamos pelas obras realizadas, ou seja , que nós as efetuamos por nós mesmos, eles não querem admitir que em todas as coisas que realizamos, indiscutivelmente as mãos do Senhor estão se movendo a nosso favor. Eles pensam que por nos impedirem de fazer determinadas coisas, deixaremos de ser servos de Deus ou que seremos abandonados por Ele. Tatenai tinha autoridade suficiente para impedir o progresso da obra, bastava decretar e a obra ia ser paralisada, mas quem pode opor-se a vontade de Deus? – “Bem sei eu que tudo podes, e nenhum dos teus pensamentos pode ser impedido”.

Satanás sempre lançou mão dos decretos e leis seculares como armas para impedirem o progresso da obra Deus. Foi assim na Antiga Aliança; foi assim nos tempos de Jesus; foi assim nos tempos da igreja primitiva; foi assim no decorrer de toda a história da igreja e, é assim nos dias atuais. De certa forma sua estratégia dá certo, sim, de certa forma dá certo, pois para alguns “crentes” os decretos e leis que impedem que o trabalho da igreja prospere são um alívio. Desde o primeiro dia em que saiu o decreto para as igrejas, por causa do “Corona vírus”, eu não vejo alguns irmãos na igreja, mesmo tendo sido o decreto mudado permitindo a realização dos cultos, desde que se observem os cuidados.

Não estou dizendo que devamos ser desobedientes ao que as autoridades determinam, pois isso seria clara rebelião contra a Palavra de Deus, contudo quando seus decretos (dos homens) afrontam abertamente a vontade de Deus nós não podemos ficar imparciais, pois Jesus disse de uma forma muito explicita – “Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha”. O culto, a adoração e o louvor a Deus não podem parar por causa de decretos. Continue sua adoração, seu louvor e seu culto de onde você estiver.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.