O padrão divino para a Igreja.

Efésios 4: 1-16
 “Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz: há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos, e em todos… Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, do qual todo o corpo, bem-ajustado e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor”.

Embora o Senhor não tenha estabelecido um parâmetro para a organização de uma igreja, sem duvida alguma, como organismo vivo que é, a igreja do Senhor é regida por preceitos divinos os quais, sobre hipótese alguma, podem sofrer variação. Conforme Paulo assegura na carta escrita aos crentes de Éfeso, a unidade do Espírito não pode ser criada pelo ser humano. Ela já existe para aqueles que creram na verdade e receberam a Cristo. Os efésios devem guardar e preservar essa unidade, não mediante os esforços ou organizações humanas, mas pelo andar “como é digno da vocação com que fostes chamados”. A unidade espiritual é mantida pela lealdade à verdade e o andar segundo o Espírito. Não pode ser conseguida “pela carne”.

O desejo de Paulo é que entendamos definitivamente que a unidade do Espírito e a unidade da fé são mantidas e aperfeiçoadas por:
– Aceitar somente a fé e a mensagem dos apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres do Novo Testamento;
– Crescer na graça, em maturidade espiritual e em Cristo sob todos os aspectos, e ser cheio da plenitude de Cristo e de Deus;
– Não permanecer como criança, aceitando “todo o vento de doutrina”, mas, pelo contrário, conhecer a verdade, e assim saber rejeitar falsos mestres;
– Sustentar e falar com amor a verdade revelada nas Escrituras.

Uma igreja bem estruturada, não apenas no aspecto organizacional, depende do quanto seus membros estão amadurecidos espiritualmente e, ser espiritualmente maduro, significa não ser “meninos”, os quais são instáveis, facilmente enganados pelas falsas doutrinas dos homens e suscetíveis ao artificialismo enganoso. O crente permanece infantil quando tem uma compreensão inadequada das verdades bíblicas e pouca dedicação a elas. Ser espiritualmente maduro inclui falar “a verdade em amor”. A verdade do evangelho, conforme apresentada no Novo Testamento, deve ser crida com amor, apresentada com amor e defendida em espírito de amor. Esse amor é dirigido primeiramente a Cristo; em seguida, à igreja e, finalmente, de uns para com os outros.

A conservação da unidade da fé, deve basear-se no amor ativo, que procura resolver problemas e reconciliar diferenças através da mútua lealdade e da obediência a Cristo e sua Palavra.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.