Numa igreja pura Deus opera maravilhas.

Marcos 16: 17-20; Atos 19: 11
 “E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão. Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu e assentou-se à direita de Deus. E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém!” ” E Deus, pelas mãos de Paulo, fazia maravilhas extraordinárias”.

Indiscutivelmente, por esses textos bíblicos acima, está definitivamente resolvido a questão sobre em que tipo de igreja Deus opera. Muitos, de nós crentes, firmam um debate infindável e infrutífero sobre qual igreja é a verdadeira, ou melhor, em qual igreja se realiza a vontade de Deus. Tem crente que está supervalorizando os templos em si mesmos e se esquecendo de que Deus não opera através do edifício, mas, sim, através das vidas que se consagram a Seu serviço e que, unidas, constituem o “corpo” que o edifício representa.

O desejo de Jesus é que seus seguidores (e não os templos) façam as mesmas obras que Ele fazia e, Jesus diz que não só fariam as mesmas coisas que Ele, como, também, fariam “coisas maiores” e nisso estão incluídos a conversão de pessoas a Cristo e a operação de milagres. A razão porque seus seguidores poderão fazer obras maiores é que Ele foi para o Pai e enviou o poder do Espírito Santo para que possamos estar capacitados e, pelo poder do Espírito, realizar tais obras.

As Escrituras ensinam claramente que Cristo quer que seus seguidores operem milagres ao anunciarem o evangelho do reino de Deus. Os sinais realizados pelos discípulos verdadeiros, confirmam que a mensagem do evangelho é genuína, que o reino de Deus chegou à terra com poder  e que o Senhor Jesus vivo e ressurreto está presente entre os seus, operando através deles.

Da lista de sinais que o Senhor Jesus citou, com exceção da ingestão de veneno, a igreja primitiva realizou: falaram novas línguas; expulsaram demônios; escaparam da morte por picada de serpente; e curaram os enfermos. Todavia, “os sinais” devem seguir os discípulos de Jesus (nós no caso) até a volta do Senhor, ou seja, as manifestações espirituais ocorridas na igreja primitiva devem continuar na igreja hodierna até a volta de Jesus. Conforme vemos nas Escrituras, esses sinais não foram limitados ao período que se seguiu à ascensão de Jesus – “Aquele, pois, que vos dá o Espírito e que opera maravilhas entre vós o faz pelas obras da lei ou pela pregação da fé?”

Os discípulos de Cristo não somente deviam pregar o evangelho do reino e levar a salvação àqueles que creem, mas também concretizar o reino de Deus, como fez Jesus ao expulsar demônios e curar doenças e enfermidade Deus. Jesus deixa claro que esses sinais não são dons especiais para apenas alguns crentes, mas que seriam concedidos a todos os crentes que, em obediência a Cristo, dão testemunho do evangelho e reivindicam as suas promessas. A ausência desses “sinais” na igreja, hoje, não significa que Cristo falhou no cumprimento de suas promessas. A falta, conforme Jesus declara, está na vida dos seus seguidores – “E, aproximando-se Jesus, tocou-lhes e disse: Levantai-vos e não tenhais medo”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal pag 1496

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.