Quem persevera na fé é bem-aventurado em Deus

Tiago 5: 11
 “Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso”.

Quando nos deparamos com a história de Jó, é de extrema relevância lembrar de que Jó não fazia a menor ideia do que estava acontecendo na esfera espiritual. As repentinas assolações que se abateram sobre seus bens, família e sobre ele mesmo fizeram com que seus amigos o acusassem de ser um pecador e um hipócrita. “Deve haver algum pecado terrível em sua vida, pois, do contrário, Deus não teria permitido esse sofrimento”, argumentaram. Jó não admitiu tal acusação e, em sua defesa, declarou-se com toda convicção de que era inocente (inocente diante do que estava sendo acusado pelos amigos), mas em momento algum Jó insinuou que era perfeito.

Com exceção do sofrimento de Jesus, é difícil encontrar na Bíblia (ou fora dela) outro exemplo maior de sofrimento do que o de Jó. Todas as circunstâncias conspiravam contra ele, pois num curtíssimo espaço de tempo, ele perdeu os filhos amados, as riquezas e a saúde. De tudo o que possuía, a única coisa que lhe restou além de um corpo coberto de chagas; uma alma afligida e um espírito angustiado, foi a esposa. E, sem querer entrar no mérito do que ela propôs a ele – “Então, sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus e morre”, percebam que ela não o abandonou. Ela esteve com ele até o fim e, apesar de não ser citado, isso é facilmente comprovado quando Deus muda seu cativeiro – ela estava lá para dar a Jó outros filhos.

A primeira intenção dos amigos eram a de levar a Jó uma palavra de alento, entretanto, eles se colocaram contra ele, pois o acusaram de ser um hipócrita que merecia o julgamento de Deus. A circunstância era indiscutível, tudo indicava que Deus também estava contra ele. Quando Jó clamou por respostas para suas perguntas, só recebeu do céu o silêncio – “E os teus céus que estão sobre a cabeça serão de bronze; e a terra que está debaixo de ti será de ferro”.

Mesmo na contramão de todas as possibilidades e probabilidades, Jó perseverou. Satanás havia predito que Jó ficaria impaciente com Deus e abandonaria sua fé, mas não foi o que aconteceu. É verdade que Jó questionou a vontade de Deus, mas não abriu mão de sua fé no Senhor. “Eis que me matará, já não tenho esperança; contudo, defenderei o meu procedimento“. Jó estava tão certo das perfeições de Deus que persistiu em sua argumentação com ele, mesmo sem entender o que Deus fazia. Isso é perseverança.

É exatamente sobre isso que Tiago nos escreve advertindo-nos contra as queixas infundadas, pois o objetivo final dos sofrimentos é determinar a perseverança, sem que a fé fraqueje. Ainda que Jó tenha se queixado, todavia permaneceu leal e é um exemplo revelador do fim que o Senhor lhe deu, como de vitória e bênção para o fiel.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Novo Testamento – Warren W. Wiersbe
– Comentário Bíblico Broadman vol 12

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.