O temor do Senhor é a verdadeira sabedoria.

Jó 28: 28
 “Mas disse ao homem: Eis que o temor do Senhor é a sabedoria, e apartar-se do mal é a inteligência”.

Muito falamos sobre o temor a Deus, mas na realidade muitos dos que falam não têm um pleno entendimento do que isso, de fato, significa. O significado do temor de Deus inclui uma variedade de aspectos do relacionamento entre o crente e Deus. O princípio fundamental, no temor a Deus, é reconhecer a sua santidade, justiça e retidão como complemento do seu amor e misericórdia, conhecê-lo e compreender plenamente quem Ele é – “Então, entenderás o temor do Senhor e acharás o conhecimento de Deus”.

Esse temor baseia-se no reconhecimento que Deus é um Deus santo, cuja natureza inerente o leva a condenar o pecado. Temer ao Senhor é considerá-lo com santo temor e reverência e honrá-lo como Deus, por causa da sua excelsa glória, santidade, majestade e poder. Quando, por exemplo, os israelitas no monte Sinai viram Deus manifestar-se através de “trovões e relâmpagos sobre o monte, e uma espessa nuvem, e um sonido de buzina mui forte” o povo inteiro “estremeceu” e implorou a Moisés que este falasse, ao invés de Deus – “E todo o povo viu os trovões, e os relâmpagos, e o sonido da buzina, e o monte fumegando; e o povo, vendo isso, retirou-se e pôs-se de longe. E disseram a Moisés: Fala tu conosco, e ouviremos; e não fale Deus conosco, para que não morramos”.

 Além disso, o salmista, na sua reflexão a respeito do Criador, declara explicitamente: “Tema toda a terra ao SENHOR; temam-no todos os moradores do mundo. Porque falou, e tudo se fez; mandou, e logo tudo apareceu”. O verdadeiro temor de Deus leva o crente a crer e confiar exclusivamente nEle para a salvação. Noutras palavras, o temor ao Senhor produz no povo de Deus esperança e confiança nEle. Não é de admirar, pois, que tais pessoas se salvem e desfrutem do amor perdoador de Deus, e da sua misericórdia.

Finalmente, temer a Deus significa reconhecer que Ele é um Deus que se ira contra o pecado e que tem poder para castigar a quem transgride suas justas leis, tanto no tempo como na eternidade. Moisés experimentou esse aspecto do temor de Deus quando passou quarenta dias e quarenta noites em oração, intercedendo pelos israelitas transgressores: “Temi por causa da ira e do furor com que o SENHOR tanto estava irado contra vós, para vos destruir”.

As razões para temer o Senhor vêm do significado do temor do Senhor. Devemos temê-lo por causa do seu grande poder como o Criador de todas as coisas e de todas as pessoas  Quando nós nos apercebemos da santidade do nosso Deus, sua separação do pecado, e sua aversão constante a ele, a resposta normal do espírito humano é temê-lo – “Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque só tu és santo; por isso, todas as nações virão e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal (Estudo Doutrinário extraído na íntegra) pag 301.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.