Pode alguém discutir com o Todo-Poderoso?

Jó 41: 1-2
 “Poderás pescar com anzol o leviatã ou ligarás a sua língua com a corda? Podes pôr uma corda no seu nariz ou com um espinho furarás a sua queixada?”

É magnífica a maneira como Deus nos orienta. Suas orientações sempre visam nosso aperfeiçoamento diante dEle, elas servem para nos ensinar aquilo que não sabemos, bem como, nos encaminhar para o rumo certo quando pensamos que sabemos. E, certamente, não há nada mais difícil de encaminhar quando a pessoa que está sendo orientada já tem seu pré-conceito estabelecido. Mas, voltando a magnificência das ações do nosso Deus, é impressionante como Ele usa as coisas mais comuns dessa vida para nos fazer enxergar algumas verdades.

Nosso Deus quer que Jó entenda que, embora, os homens sábios sejam detentores de vasto conhecimento, entretanto, esse conhecimento quando aplicado sobre as coisas espirituais deve ser feito de maneira cautelosa. O Senhor (neste capítulo) fala do crocodilo e, demonstra para Jó que nenhum homem, por mais sábio que seja pode domestica-lo. Ainda que consigam domina-lo por algum tempo, ainda assim o seu instinto selvagem permanece ativo. Ora, se o homem não consegue resolver ou elucidar uma questão que está na mesma esfera secular, como pode quere opinar em questões que envolvem as coisas espirituais? 

O título deste artigo é: ”Pode alguém discutir com o Todo-Poderoso?”, mas temos que entender que não é o mesmo que argumentar com o Senhor sobre determinada situações, pois, o próprio Senhor nos incentiva a isso – “Relembre-me o que aconteceu! Vamos juntos ao tribunal! Apresente as suas razões, para que você possa se justificar”. Discutir é sempre usado num sentido pejorativo, embora, nem sempre o seu significado aponte para isso, todavia, neste versículo, o Senhor está aplicando o termo no sentido de que não há quem possa se opor ao que Ele diz, nem ao que Ele faz e, muito menos, da forma como Ele faz.

Indiscutivelmente Jó era um homem sábio e, em razão disso, seus conselhos eram buscados por muitas pessoas de sua época. Jó, provavelmente, dominado sobre muitos assuntos. Ele sabia, embora dentro dos limites para a sua época, sobre astronomia, filosofia, teologia, psicologia, economia, sociologia, fauna e flora etc. e etc., mas, o Senhor quer fazer Jó entender que os assuntos inerentes ao âmbito espiritual são mais complexos do que ele imagina, eles não são enigmas que podem ser decifrados com sabedoria humana.

Esta seção do livro de Jó serve para, entre outros ensinos, nos mostrar que, se há mistérios ainda inescrutáveis ao conhecimento humano na esfera secular, quanto mais diremos dos que são da esfera espiritual. Se aquilo que se apresenta na nossa dimensão e que estão diante de nós constantemente, por vezes, nos são incompreensíveis, o que diremos das coisas que pertencem à dimensão espiritual?

Jó deveria entender que, se aos animais que foram citados nesta passagem, dotados de extrema força e robustez, nosso Deus dá sustento e os capacitou para se auto preservarem dos perigos naturais, o que não faria nosso Deus, em nosso favor?

Erivelton Figueiredo

Deus abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.