Boas festas!? Serão boas mesmo!?

O que dizer de 2020?

Indiscutivelmente as opiniões serão divergentes em muitos aspectos. Mas, a nossa pergunta é feita abrangendo todas as esferas de nossa vida, e não apenas pontos específicos. O que extraímos de tudo o que vivemos nesse atípico ano?

Sem dúvida alguma o mundo viveu sob uma infindável angústia. O medo disseminado pelos veículos de propaganda forçou muitas pessoas se enclausurarem em suas casas, vivendo todos os dias sob uma terrível ameaça de morte, ameaça essa, que até o dia de hoje, continuo firme na minha convicção de que fomos covardemente enganados – a pandemia só existiu nas estatísticas dos governos municipais, estaduais e federal. As pessoas que “supostamente” estavam infectadas com o vírus foram covardemente assassinadas em hospitais e postos de atendimentos.

Mas, alguém pode dizer – qual ou que interesse esses governos teriam nisso?

Vamos tentar responder de forma muito resumida.

Embora estejamos vivendo em um século onde a tecnologia é de sobremodo extraordinária, temos que estar cientes de que o homem (ser humano) ainda é homem, a tecnologia evoluiu, mas o homem continua sendo homem. A maldade no coração dos homens só tem aumentado a cada dia, o desamor pelo próximo é um comportamento que não podemos fingir que não existe. A cada dia que passa o que temos visto é que a palavra “amor” tem sido proferida à revelia, isto é, ela não expressa mais um sentimento afetuoso, mas apenas uma forma de alcançar os escusos objetivos com maior rapidez.

A Alemanha, no século passado, por questões étnicas, exterminou mais de 6 milhões de judeus no chamado “holocausto” e, agora, a China o país mais populoso do mundo (1,4 bilhões de habitantes) não tendo alimento suficiente para abastecer todos os cidadãos chineses, elabora um plano demoníaco para reduzir a população mundial a fim de que “sobre” alimento para importar de outros países. É uma sandice o que estamos escrevendo? Sim! Também quero crer que seja, mas, não estamos tão distantes da verdade em nossa teoria. O assunto é extenso e não queremos enfadar você com esse tipo de leitura nesta época.

Embora o mundo esteja vivendo sob um pavor nós, os salvos em Cristo, temos muitas experiências para contar deste ano tão anômalo. Sem dúvida alguma, fomos afetados pelas consequências da suposta pandemia, mas, o nosso Deus nos supriu em todas as nossas necessidades e, chegamos até aqui, com um hino de louvor ao nosso Deus – “Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cântico; então se dizia entre os gentios: Grandes coisas fez o Senhor a estes”.

Por isso, nós te dizemos com toda convicção – SÃO BOAS FESTAS SIM!

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.