Somos ensinados a procurar os melhores dons.

I Coríntios 12: 31
 “Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho ainda mais excelente”.

Duas questões se apresentam neste texto e, por parecerem contraditórias, devem ser comentadas a fim de expurgar qualquer tipo de interpretação distorcida das doutrinas bíblicas. Em versículos anteriores, Paulo afirma que os dons são distribuídos pelo Espírito Santo e concedidos a quem ele quer e, agora, ele diz que devemos “buscar com zelo” pelos dons. Também a expressão “melhor” parece insinuar que há dons que não são tão importantes e, a estes, devemos menosprezar. Ora, não há contradição nenhuma nos textos escritos por Paulo, todos estão em perfeita harmonia quanto ao que a respeito dos dons do Espírito Santo.

Bom, quanto ao que Paulo diz sobre “procurar com zelo os melhores dons”, ele não se referia a qualificação dos dons, mas ele apontava para os que seriam mais úteis na igreja para qual ele escreveu. E, apontando para os nossos dias, a interpretação é a mesma, devemos buscar os dons que são úteis para a edificação da igreja. Embora tenhamos liberdade de pedir por um dom especifico isso não quer dizer que seremos agraciados com ele, pois o Espírito Santo nos concederá dons que sejam úteis na igreja e não para a nossa promoção. É muito comum os crentes pedirem o dom de línguas estranhas, porém o que Paulo quer ensinar é que numa igreja não pode ter somente quem fale línguas estranhas. A variedade de dons é grande.

Outro fator que pode ter induzido Paulo a usar a expressão “melhores dons” se fundamenta no que ele escreveu no capitulo seguinte (o 13). Provavelmente ele quis dizer, com “melhores dons”, que alguns dons se sobressaem a outros quando o objetivo do dom é evidenciar que o povo que está reunido em determinado lugar é a igreja do Senhor. Por isso, que, no capítulo 13 da primeira carta aos Coríntios, ele vai falar sistematicamente do amor, pois, para que serve uma igreja repleta de dons, mas não possuir o mais precioso dom que é o amor.

Segundo escreveu Wiersbe, Paulo quis dizer que devemos buscar os dons mais relevantes, pois alguns dons são mais relevantes que outros e, em vista disto, o crente deve buscar criteriosamente tais dons.

Quando Paulo fala de amor, fala da realidade, que o homem pode experimentar, que é mais característica do próprio Deus. De fato o amor é um dom de Deus, porque se origina da redenção de Cristo. Porém, de outro lado, o amor não é exclusivamente um dom, como a profecia e o falar em outras línguas, porque é dado quando o evangelho é dado. Só em amor o evangelho é dado ou recebido. Pois, quando alguém recebe pela fé o dom de Deus em Cristo, age em amor a Deus e em reação ao amor de Deus. Em sentido bem genuíno, a fé é a reação do amor ao amor”. (Broadman)

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Novo Testamento – Warren W. Wiersbe
– Comentário Bíblico Broadman.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.