O apóstolo acrescenta alguns dons à lista de Romanos.

I Coríntios 12: 28-30
 “E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente, apóstolos, em segundo lugar, profetas, em terceiro, doutores, depois, milagres, depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas. Porventura, são todos apóstolos? São todos profetas? São todos doutores? São todos operadores de milagres? Têm todos o dom de curar? Falam todos diversas línguas? Interpretam todos?”

Myer Pearlman classifica os dons listados por Paulo em três categorias: Aqueles que concedem poder para saber sobrenaturalmente: a palavra de sabedoria, a palavra de ciência, e de discernimento; Aqueles que concedem poder para agir sobrenaturalmente: fé, milagres, curas; E, aqueles que concedem poder para orar sobrenaturalmente: profecia, línguas, interpretação. Esses dons são descritos como “a manifestação do Espírito”, “dada a cada um, para o que for útil” (isto é, para o beneficio da igreja). Aqui temos a definição bíblica duma “manifestação” do Espírito, a saber, a operação de qualquer um dos nove dons do Espírito que Paulo cita nos versículos oito, nove e dez deste mesmo capítulo da referência acima.

É no plano espiritual, que transcende às coisas materiais do universo, que Deus demonstra sua multiforme sabedoria de forma tão sublime e elevada, que é considerada um verdadeiro mistério que só a revelação divina pôde trazer à luz, isto é, ao conhecimento do homem, por meio do Espírito Santo. Essa multiforme sabedoria de Deus, que tudo criou pelo poder sobrenatural de sua palavra, a ponto de trazer à existência todas as coisas, a partir do nada absoluto, transformou-se em uma relação de amor para com o homem.

Esse amor culminou com nascimento da igreja de Cristo, e esta se tornou a representante legal de Deus na Terra, por isso, ela foi e continua sendo alvo dos mais terríveis ataques do Inimigo de Deus, que, mesmo condenado em última instância, no Tribunal Divino, e sabendo que seu fim é o inferno, procura destruir a comunidade dos salvos e remidos por Cristo. Diante dessa realidade, Deus tem concedido à igreja recursos especiais, que são os dons espirituais e os dons ministeriais, para edificação e força para cumprir a sua missão. O dom de sabedoria, ao lado dos outros dons, concede parte da multiforme sabedoria de Deus a seus servos para que saibam como agir, como viver, como proceder e atuar, diante da missão que lhes foi confiada de proclamar o evangelho por todo o mundo a toda a criatura.

Pearlman escreve com extrema sabedoria sobre o uso adequado dos dons espirituais e, no seu livro “Conhecendo as Doutrinas da Bíblia” ele fala o seguinte: “A faísca que fende as árvores, queima casas e mata gente, é da mesma natureza da eletricidade gerada na usina que tão eficientemente ilumina as casas e aciona as fábricas. A diferença está apenas em que a da usina é controlada. Em I Coríntios capítulo 12, Paulo revelou os grandiosos recursos espirituais de poder disponível para a igreja; no cap. 14 ele mostra como esse poder deve ser regulado, de modo que edifique, em lugar de destruir, a igreja. A instrução era necessária, pois uma leitura desse capítulo demonstrará que a desordem havia reinado em algumas reuniões, devido à falta de conhecimento das manifestações espirituais”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – Myer Pearlman.
– Dons Espirituais e Ministeriais – Elinaldo Renovato.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.