Existe uma diferença visível entre os incrédulos e os crentes em Jesus.

Romanos 8: 5
 “Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito, para as coisas do Espírito”.

Quando o Senhor Deus criou todas as coisas, Ele determinou que – “Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nela sobre a terra. E assim foi”, ou seja, está claramente explicito que o fruto que cada árvore produz não pode ser distinto da espécie a que pertence à árvore. Sendo mais claro com as palavras, o que estamos dizendo é que é absolutamente impossível colher laranja em uma macieira. Ora, na questão espiritual, no que se aplica ao fruto do Espírito Santo, a situação é a mesma, é terminantemente impossível que em algum incrédulo esteja evidenciado o caráter de Cristo.

É próprio para o momento desfazermos certa confusão que alguns irmãos fazem com alguns termos que comumente usamos na igreja. O homem incrédulo e o homem ímpio são pessoas distintas e que vivem em lugares distintos. O ímpio, segundo o dicionário Wycliffe, é aquele que é maligno ou falso diante de Deus, o ímpio pratica tudo aquilo que é contrário a Deus. Por outro lado, o incrédulo é aquela pessoa que vive na igreja, mas, não crê com a mais absoluta convicção na inerrância, na infalibilidade e nem na inspiração da Bíblia Sagrada – “Eles saíram do nosso meio, mas não eram dos nossos. Porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco. Mas eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos”.

Bom, dentro do crente existem duas naturezas – a velha e a nova, esta é evidenciada pelo fruto do Espírito e aquela pela inclinação à carne, ou as praticas pecaminosas. Não podemos estar enganados quanto ao que nos ocorre quando somos salvos. Embora a natureza humana não seja extirpada do homem quando este é salvo, todavia, ela deve, obrigatoriamente, doravante, estar subjugada pela nova natureza e, se isso não ocorre, tal homem, não obstante ter um encontro com Jesus, ele ainda permanece separado de Jesus e do Espírito Santo, em suma, não creu naquilo que ouviu a respeito de Jesus.

Jesus ensinando sobre estes dois grupos de pessoas que estão dentro das igrejas disse o seguinte: – “Não pode a árvore boa dar maus frutos, nem a árvore má dar frutos bons. Toda árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”.

Com que propósito você existe? Deus o salvou simplesmente para que você frequente a igreja durante algumas poucas horas cada semana? Não! Você existe para viver ou externar os ensinamentos que receber, revelando Cristo a este mundo pecaminoso e perdido”. Pr Antº Gilberto

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Dicionário Bíblico Wycliffe
– As obras da carne e o Fruto do Espírito – Willian Barclay
– Fruto do Espírito – Pr Antônio Gilberto

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.