Quem tem o Espírito de Cristo, este pertence a ele.

Romanos 8: 8-9
 “Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”.

Em artigos anteriores deixamos bem esclarecido o que é o fruto do Espírito, todavia é bom reforçarmos este conceito para que as dúvidas sejam dissipadas. A lista que Paulo cita na carta escrita aos crentes da Galácia não aponta para oito “frutos” que o Espírito Santo produz no crente, antes, o que ele está ensinando ali é que aqueles elementos são características imprescindíveis do fruto do Espírito Santo. O fruto que o Espírito Santo produz no crente é único e a evidência disto na vida do crente é caracterizada pelo “amor, gozo, fé, paz, longanimidade, benignidade, bondade, mansidão, temperança” em relação ao próximo.

Sempre falo para meus alunos da EBD que não existiu, não existe e jamais existirá um homem que cumpra cabalmente tudo o que a Bíblia prescreve para os salvos. Nem mesmo, dentro da própria Escritura Sagrada conseguimos encontrar tal homem. Por exemplo, Moisés de quem o Senhor dá testemunho de que nunca existiu sobre a face da terra homem mais manso que ele, foi um assassino; Abraão, de quem o Senhor dá testemunho e o chama de “pai da fé” de todos os homens, teve seus momentos de dúvidas e incertezas; Davi, de quem o Senhor dá testemunho de que foi um homem “segundo Seu coração”, assassinou e adulterou; na Nova Aliança, os discípulos, homens que andaram pessoalmente com o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, tiveram seus momentos de fraquezas. Sendo assim, nós, infalivelmente, fazemos parte desta estatística, não somos, em nada, diferentes deles.

E, ao nos revelar isso na Bíblia Sagrada, nosso Deus quer que entendamos o quanto somos fracos e dependentes dEle. Contudo, nosso Deus não quer que usemos nossa fraqueza como justificativa por não cumprir o que nos está prescrito em Sua Palavra. Ou seja, embora, nós estejamos conscientes de que não podemos cumprir tudo o que o Senhor exige de nós, todavia, isso não é razão para não nos esforçarmos. Evidentemente que não estaremos vivendo, 24 horas por dia dentro daquilo que nos é exigido, porém, isso não significa que não precisamos buscar com insistência atingir tais objetivos.

Em suma, o que estamos dizendo é que, apesar do que somos, e quando falamos desta maneira, estamos apontando para todas as esferas da nossa vida, o Espírito Santo deseja habitar em nós, todavia isso só é possível quando Ele encontra um ambiente propício para isso, ou seja, quando realmente nos tornamos templo para habitação dEle. De ambiente propício, nos referimos a um lugar santificado, separado e regenerado de maneira que possa acolher o Espírito Santo de Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.