Nenhum atributo divino é tão solenizado nas Escrituras como a santidade de Deus.

I Samuel 2: 2
 “Não há santo como é o Senhor; porque não há outro fora de ti; e rocha nenhuma há como o nosso Deus”.

Santidade!
O que o crente tem que entender definitivamente é que ele está morto para o pecado. Quem morreu fomos nós para o pecado e não o contrário. Existem crentes que pensam, e fazem isso com convicção, que o pecado foi aniquilado dentro de si. A santificação não é uma vacina que o crente toma quando é salvo e que o torna imune ao pecado até o fim de tudo. O ato do Senhor Jesus na cruz nos libertou do jugo do pecado, não do seu poder. O nosso esforço diário, a nossa luta constante é exatamente para evitar que o poder do pecado nos domine, induzindo-nos ao erro.

A santificação é um processo no qual o crente deve viver diariamente. A santificação somente é vista como um estado posicional quando fomos salvos, isto é, fomos tirados de um estado de imundícias e colocados numa posição de santificados. Entretanto, a partir deste momento nós entramos no processo de manter essa santificação sempre em constante atividade. É a ilustração dos porcos que falamos anteriormente, todavia, o porco volta para lama porque o seu instinto o conduz a isso, mas o homem que foi santificado só volta para o pecado se voluntariamente quiser.

A santificação sempre foi uma exigência de Deus, em Levíticos o Senhor disse – “Portanto, santificai-vos e sede santos, pois eu sou o Senhor, vosso Deus”. Atentem para o que o Senhor falou – “santificai-vos e sede santos”, ou seja, Ele estava dizendo que o povo israelita, lá em Levíticos, ia sair de uma condição (posicional), mas que deveria permanecer na nova condição (processual). O “santificai-vos” não está insinuando que as pessoas iam se santificar a si mesmas, mas que voluntariamente desejassem ser santificadas. Quem iria santifica-las era o sumo-sacerdote. Agora, o “sede santos” é uma convocação para que aquele que tinha sido santificado permanecesse naquela condição.

Mudou alguma coisa na exigência de Deus sobre a questão da santificação do seu povo?
Não! A exigência continua sendo a mesma.

O grande problema que algumas pessoas enfrentam com as doutrinas da Palavra de Deus é que quando elas (as pessoas) não se adaptam ou, não se encaixam ou, não se conformam ou, falando de uma forma mais clara e sem rodeios, quando tais pessoas não querem deliberadamente obedecer a Palavra de Deus, elas (as pessoas) tentam encaixar a Palavra de Deus ao seu estilo de vida. Em vista disso, elas dizem que se entendermos a santificação no seu sentido literal, ninguém vai para o Céu.

Bom, para essas pessoas dizemos o seguinte: o Senhor garante em sua Palavra que nunca exigirá do homem algo que o homem não possa realizar e, ainda que, por nós mesmos não sejamos possíveis de realizar, o próprio Senhor nos auxilia a realizarmos o que de nós foi exigido.

A santificação é possível sim.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.