O Senhor Jesus é o santificador da igreja.

Efésios 5: 25-27
 “…, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível”.

Estas palavras de Paulo nos remetem a uma veemente introspecção sobre as expectativas da nossa vida espiritual diante da realidade que vivemos. Isto é, quando fazemos uma rápida comparação entre o que Deus espera que sejamos e o que de fato somos, concluímos que não alcançamos os parâmetros estabelecidos por Deus. Evidentemente, que quando falamos de parâmetros, estamos apontando para a totalidade daquilo que nos é exigido por Deus e não algumas partes. Sendo mais claro com as palavras, o que estamos dizendo é que a santificação dos crentes, exigida por Deus, implica a totalidade e não a parcialidade do ser – “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver”.

É do nosso conhecimento que não existe igreja perfeita, nesse caso, estamos apontando para as denominações, todas possuem máculas e, em muitos casos, estão totalmente enrugadas. É, também, do nosso conhecimento, que quando se fala de igreja, temos que ter consciência de existem apenas duas – a FIEL e a INFIEL, e que ambas estão inseridas nas denominações. A carta que Paulo escreveu à igreja de Éfeso foi endereçada a uma denominação, mas, cujo objetivo era alcançar o coração dos fiéis que estavam arrolados nela.

Paulo salienta sobre a condição de estarmos santificados, isto é, estarmos definitivamente separados para Deus, mas, não é uma separação que é confessava com lábios sem a devida evidência física. Estar consciente de que Cristo nos separou para Ele não nos torna efetivamente santificados se não atentarmos com extrema dedicação para os preceitos divinos exigidos para a igreja. Nesse caso, nos referimos à igreja FIEL. O único meio que nos capacita a permanecer santificados é a “lavagem” diária através da Palavra de Deus. Nenhum evento em nossas igrejas, por mais espiritual que seja não pode promover a santificação em ninguém, todavia, não estamos dizendo que devemos aboli-los, mas, usa-los como oportunidades de despertamento, de levar os crentes a se conscientizarem da necessidade da santificação pela Palavra de Deus.

As máculas são os agentes externos que insistem em contaminar a igreja. O mundanismo, isto é, os conceitos filosóficos do mundo estão irrompendo com enorme facilidade pelas portas das igrejas. Tais conceitos não encontram oposição quando estão sendo inseridos nos cultos, muito pelo contrário, eles estão sendo abraçados com certo entusiasmo por muitos crentes. As máculas são as principais causas das rugas, pois, tudo aquilo que é maléfico para o corpo, mas que é aceito com naturalidade, tende a causar danos irreparáveis em todo o organismo. Desta forma, as rugas são as evidências de que houve uma degeneração no interior do corpo.

Como igreja de Cristo devemos estar santificados todos os dias para não sofrermos a degradação inerente à mácula e assim, somente assim, renovados diariamente pelo poder da Palavra de Deus, não sofrermos a deterioração interior que ocasionarão as “rugas”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

One thought on “O Senhor Jesus é o santificador da igreja.

  • 4 de fevereiro de 2021 em 12:58
    Permalink

    Parabéns pelo ensinamento 🙏🏾🙌🏾 Que Deus continue usando e abençoando seu ministério Pastor . 🙏🏾

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.