O Senhor Jesus chama as Escrituras Sagradas de a Palavra de Deus.

Marcos 7: 13
 “Invalidando, assim, a palavra de Deus pela vossa tradição, que vós ordenastes. E muitas coisas fazeis semelhantes a estas”.

Quando dizemos que a Bíblia foi inspirada divinamente, insinuamos que é uma a operação divina que influenciou os escritores bíblicos, capacitando-os a receber a mensagem divina, e que os moveu a transcrevê-la com exatidão, impedindo-os de cometerem erros e omissões, de modo que ela recebeu autoridade divina e infalível, garantindo a exata transferência da verdade revelada de Deus para a linguagem humana inteligível.

Quanto a autoria da Bíblia, nos deparamos com uma dualidade, sim, dualidade, pois, de um lado temos Deus como a origem de toda a Palavra, que são a expressão da Sua mente. Por outro lado, temos os homens que foram escolhidos por Deus para a responsabilidade de receber a Palavra e passá-la para a forma escrita. Na Segunda Epístola de Pedro, encontramos a referência aos homens: “Homens santos de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo“.

A globalização é caracterizada por ceticismo, racionalismo, materialismo, individualismo e outros “ismos” sem conta. A Bíblia, em meio a tais sistemas, sempre sofreu grandes ameaças. A luta do Diabo visa destruir o Livro Sagrado, mas vendo que não consegue, mudou de tática e agora procura perverter a mensagem do Livro. Seitas e doutrinas falsas proliferam por toda parte apoiadas pelo fanatismo e ignorância prevalecentes em muitos lugares. Nossa crença na Bíblia deve ser convicta, sólida e fundamental; não deve ser jamais um eco ou reflexo dos outros.

A existência da Bíblia até os nossos dias só pode ser explicada como um milagre. Há nela 66 livros, escritos por cerca de 40 escritores, cobrindo um período de 16 séculos. Esses homens, na maior parte dos casos, não se conheceram. Viveram em lugares distantes de três continentes, escrevendo em duas línguas principais. Devido a estas circunstâncias, em muitos casos, os autores nada sabiam sobre o que já havia sido escrito. Muitas vezes um escritor iniciava um assunto e, séculos depois, um outro completava-o, com tanta riqueza de detalhes, que somente um livro vindo de Deus podia ser assim.

Os escritores foram homens de todas as atividades da vida humana, daí a diversidade de estilos encontrados na Bíblia. Apesar de toda diversidade, quando examinamos os escritos desses homens, sob tantos estilos diferentes, verificamos que eles se completam, tratando de um só assunto! O produto da pena de cada um deles não gerou muitos livros, mas um só livro, poderoso e coerente.

Se a Bíblia fosse um livro puramente humano, sua composição seria inexplicável. Não há na Bíblia contradição doutrinária, histórica ou científica. Se alguma falha for encontrada na Bíblia, será sempre do lado humano, como tradução mal feita, grafia inexata, interpretação forçada, má compreensão de quem estuda, falsa aplicação aos sentidos do texto.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Teologia Sistemática Stanley Horton
– Teologia Sistemática Eurico Bergstén

Compartilhar

One thought on “O Senhor Jesus chama as Escrituras Sagradas de a Palavra de Deus.

  • 16 de fevereiro de 2021 em 06:13
    Permalink

    Para agregar este maravilhoso tema de hoje

    Este último trecho me fez lembrar na hora da *inerrância bíblica*

    *Inerrância bíblica* é a doutrina segundo a qual, em sua forma original, a Bíblia está totalmente livre de contradições, incluindo suas partes históricas e científicas. *A inerrância* distingue-se da doutrina da *Infalibilidade bíblica* a qual assegura que a Bíblia é inerrante quando se fala de assuntos de fé e de sua prática e não em relação à história e ciência.[1]

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Inerr%C3%A2ncia_b%C3%ADblica

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.