A Palavra de Deus é divinamente inspirada e apta para nos ensinar.

II Timóteo 3: 14-17
 “Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido. E que, desde a tua meninice, sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra”.

Um dos grandes equívocos que cometemos quanto à nossa vida espiritual é julgar que, pelo nível do nosso amadurecimento cristão, não precisamos mais lançar mão da Palavra de Deus para dirimir algumas questões em nossas vidas. Os ensinamentos que a Palavra de Deus tem a nos oferecer são inesgotáveis. Em vista disto, quanto mais idade tem o crente mais necessário se faz o uso da Bíblia Sagrada no seu cotidiano, pois, as dificuldades que se apresentam no dia a dia estão relacionadas com o amadurecimento espiritual – quanto mais maduro (no aspecto espiritual) é o crente, mais difíceis são os problemas. O conselho de Paulo à Timóteo era o seguinte: embora você tenha aprendido tudo com sua mãe e avó, ainda tem mais ensinos a aprender.

“Permanecer naquilo que aprendemos” não significa “engolir” qualquer coisa que queiram nos ensinar, assim como Paulo advertiu Timóteo, nós também somos advertidos a ouvir o que nos ensinam e guardar aquilo que é útil para nosso desenvolvimento espiritual. “Aprender e estar inteirado” aponta para um ensino sistemático e metódico, isto é, tudo quanto é ensinado é também comprovado. E, se tratando do ensino bíblico, isso quer dizer que tudo quanto é ensinado nas igrejas deve, obrigatoriamente, ser comprovado biblicamente.

Outro destaque que nos chama a atenção na instrução de Paulo é fato dele dizer – “sabendo de quem o tens aprendido”. Paulo está dizendo que tudo o que nos é ensinado deve estar evidenciado na vida de quem nos ensina. Em relação a Timóteo, o que Paulo disse foi que, era impossível que a mãe dele sendo quem ela era (no aspecto espiritual) ensinasse outra coisa além do que ela sabia da Sagrada Escritura.

As palavras de Paulo nos remetem ao entendimento de que a Bíblia não pode ser considerada pelo crente como um livro comum. Aliás, em relação a Bíblia, nós devemos ter o cuidado para não nos posicionarmos nos extremos quanto ao cuidado que devemos ter com o livro em si. Evidentemente que não podemos atribuir ao livro (em si) uma característica que o coloque numa posição como as dos utensílios do Tabernáculo na Antiga Aliança, embora, seja vista como algo sagrado, a Bíblia pode ser manuseada por qualquer pessoa, sem que esta seja punida por Deus, por outro lado, nós não podemos considera-la como um livro comum.

Devemos tratar a Bíblia da mesma forma que tratamos algo muito valioso.  “A maneira como nós tratamos a Bíblia mostra aos outros quanto a respeitamos ou não. Não quero parecer esquisito, mas devo confessar que detesto ver uma Bíblia jogada no chão. Quando estamos carregando a Bíblia com outros livros, ela deve ficar em cima dos demais. Há uma diferença entre marcar a Bíblia de modo apropriado, enquanto a estudamos, e borrá-la com marcas descuidadas. Vi pessoas usarem a Bíblia como apoio para uma xícara de café!”(W.W.Wiersbe)

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

– Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Novo Testamento – Warren W. Wiersbe

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.