Cheio do Espírito como indicador da vida na plenitude do Espírito.

Atos 7: 55
 “Mas ele, estando cheio do Espírito Santo e fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus e Jesus, que estava à direita de Deus”.

Uma das muitas causas do esmorecimento na fé se fundamenta no fato de pensarmos que os assuntos bíblicos não precisam ser repetidos, isto é, nós pensamos, e fazemos isso equivocadamente, que uma vez ensinado, o mesmo assunto não precisa ser repetido, isso, sem dúvida, é um ledo engano. Os ensinos bíblicos não funcionam como uma ciência exata, eles não são como fórmulas específicas que devem ser seguidas conforme a situação requer. O que estamos dizendo é que em uma situação específica muitos são os meios que o Senhor usa para dar a solução e, no fim de tudo, o seu Nome ser glorificado.

O texto bíblico de hoje está inserido no assassinato de Estevão e, talvez, essa situação cause um enorme embaraço na mente de muito crente, pois, afinal de contas, o Senhor, se quisesse, poderia ter intervido a favor do seu servo livrando-o daquela situação. O problema está na questão de julgarmos que todas as intervenções de Deus em situações embaraçosas em nossa vida, devem terminar com a nossa exaltação, ou seja, os nossos “inimigos” contemplando os livramentos que Deus nos concede e, com isso, sendo humilhados. Mas com Estevão não foi assim? Ora, a nossa resposta vai depender de como vemos o operar de Deus.

Ou confiamos em Deus, ou não confiamos. Se não confiamos pelo simples fato de Ele ser o Deus Eterno, devemos, então, crer naquilo que Ele diz de Si mesmo – “Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa; porventura, diria ele e não o faria? Ou falaria e não o confirmaria?” Então, se Ele não mente, temos que crer naquilo que Ele diz a respeito dos que o servem com fidelidade – “Pois o Senhor não desamparará o seu povo, por causa do seu grande nome, porque aprouve ao Senhor fazer-vos o seu povo”.

O que nos chama a atenção sobre a vida de Estevão é que ele não estava cheio do Espírito apenas em situações delicadas, a Bíblia diz que – “Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra. E este parecer contentou a toda a multidão, e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo…”, desta forma, no contexto do versículo da leitura diária, mesmo diante dos seus algozes, a Palavra de Deus nos diz que ele estava cheio do Espírito, e Deus desampararia alguém nessa condição?

Realmente, temos que concordar que o Senhor não o livrou da morte, em contrapartida, o Senhor concedeu que Estevão vislumbrasse a recepção que o aguardava no Céu. Provavelmente, muitos crentes ao lerem isso, vão dizer – “Mas, e daí? Estevão morreu”. Para estes crentes nós dizemos o que a Bíblia ensina – “Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.