O pastor protege as ovelhas.

Amós 3: 12
 “Assim diz o Senhor: Como o pastor livra da boca do leão as duas pernas ou um pedacinho da orelha, assim serão livrados os filhos de Israel que habitam em Samaria, no canto da liteira e na barra do leito”.

Sobre o pastor, não repousa somente a responsabilidade de alimentar o rebanho de Deus, o verdadeiro pastor deve diligentemente resguardá-lo de seus inimigos, isto é, além de prover alimento saudável deve vigia-lo dos perigos que rondam incessantemente. O Senhor nos adverte solenemente, pela Sua Palavra, que Satanás levantaria falsos mestres dentro da própria igreja, e, também, falsários vindos de fora, infiltrar-se-ão e atingirão o rebanho com doutrinas anti-bíblicas, conceitos mundanos e ideias pagãs e humanistas. Os ensinos e a influência destes dois tipos de elementos arruinarão a fé bíblica do povo de Deus. Paulo os chama de “lobos cruéis”, indicando que são fortes e difíceis de subjugar, insaciáveis e perigosos – “Porque eu sei isto: que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não perdoarão o rebanho”.

Os “lobos cruéis”, evidentemente, não se apresentam com suas verdadeiras intenções, mas, como todo inimigo, eles se aproximam com discursos e conceitos aparentemente inofensivos, mas, que desviam as pessoas dos ensinos de Cristo e as atraem a si mesmos e ao seu “evangelho” distorcido. A fim de evitar essa “tragédia”, o apelo veemente de Paulo em suas cartas impõe uma solene obrigação sobre todos os obreiros (pastores) da igreja, no sentido de defendê-la e opor-se aos que distorcem a revelação original e fundamental da fé, segundo o Novo Testamento.

Quando falamos da igreja de Cristo usando a figura de um rebanho, sem dúvida alguma, estamos falando somente daqueles que, pela graça de Deus e pela comunhão do Espírito Santo, são fiéis ao Senhor Jesus Cristo e à Palavra de Deus – “Não que a palavra de Deus haja faltado, porque nem todos os que são de Israel são israelitas”. Por isso, é de grande importância para a preservação da pureza da igreja de Deus que os seus pastores mantenham a disciplina corretiva com amor e reprovem com firmeza quem na igreja fale coisas perversas contrárias à Palavra de Deus e ao testemunho apostólico – “Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e enganadores, principalmente os da circuncisão, aos quais convém tapar a boca; homens que transtornam casas inteiras, ensinando o que não convém, por torpe ganância”.

Se o pastor deixar de ensinar e pôr em prática todo o conselho de Deus para a igreja, principalmente quanto à vigilância sobre o rebanho, não estará “limpo do sangue de todos” – “Assim diz o Senhor Jeová: Eis que eu estou contra os pastores e demandarei as minhas ovelhas da sua mão …”. Deus o terá por culpado do sangue dos que se perderem, por ter ele deixado de proteger o rebanho contra os falsificadores da Palavra. É altamente importante que os responsáveis pela direção da igreja mantenham a ordem quanto a assuntos teológicos doutrinários e morais na mesma.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal (pág. 1677) – Extraído e adaptado.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.