Presbíteros apascentadores.

I Pedro 5: 1-2
 “Aos presbíteros que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar: apascentai o rebanho de Deus que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto”.

Desde a Antiga Aliança o Senhor vem chamando a atenção daqueles que estão à frente do Seu povo, naquilo que diz respeito ao cuidado que devem ter com o “rebanho”, isto é, aqueles que têm a responsabilidade de orientar, zelar, vigiar e alimentar o povo de Deus. Na Antiga Aliança, nós vemos que muitos destes homens fizeram o povo desviar em função do péssimo exemplo que davam e, este problema é recorrente em pleno século XXI. O que sempre faltou aos que zelam pelo rebanho do Senhor de maneira displicente é a consciência do verdadeiro significado do termo apascentar. Apascentar vai muito mais além do que simplesmente vigiar.

É interessante fazermos uma observação pela razão que o Senhor compara seu povo a um rebanho de ovelhas. Em Israel as ovelhas não eram criadas para o abate, mas, para a produção de lã, leite e “produzir” outras ovelhas e, se compararmos com o que vemos em nossa cultura – criadores de gado leiteiro; vamos perceber que os animais destinados a produção de leite, somente são abatidos em casos extremos. Em ambos os casos inferimos que não está no poder do apascentador exigir alguma coisa do rebanho, pois, tanto no exemplo dos pastores de ovelhas em Israel quanto aos criadores de gado leiteiro, eles usufruirão daquilo que o rebanho lhes der.

Etimologicamente, pastor, presbítero, bispo e ancião apontam para a mesma função dentro de uma igreja, eles apontam para o apascentador que é um termo usado em seu sentido natural em várias passagens bíblicas para referir-se a pessoas envolvidas no cuidado das ovelhas. Às vezes o dono cuidava de suas próprias ovelhas, como no caso de Abel – “E teve mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra”; outros confiavam seus rebanhos a seus filhos, como no caso de Davi – “Então, disse Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai; e vinha um leão ou um urso e tomava uma ovelha do rebanho”; e outros usavam servos ou assalariados – “Mas o mercenário, que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa. Ora, o mercenário foge, porque é mercenário e não tem cuidado das ovelhas”.

Era o dever do apascentador, conduzir seu rebanho a pastagem e água fresca e, isto exigia longas viagens pela zona rural. Nas passagens bíblicas o que vemos é o pastor ir adiante de suas ovelhas ao invés de conduzi-las. Desta forma, ele escolhia sempre o caminho mais seguro e assim, protegia o rebanho de animais selvagens e de ladrões.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Novo Testamento – Warren W. Wiersbe
– Dicionário Bíblico Wycliffe

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.