Como exemplo do rebanho.

I Pedro 5: 3
 “Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho”.

Às vezes, confabulando comigo mesmo, fico estarrecido ao contemplar o comportamento de alguns obreiros diante de um texto bíblico como este. Aliás, muitas das advertências bíblicas em relação aos que foram postos como “cabeças” nas igrejas, são ignoradas sem a menor preocupação ou temor. É impressionante como cresce vertiginosamente o número de obreiros nas igrejas que não tem nenhum compromisso com a obra de Deus, nem para manequim eles servem, pois se vestem com mau gosto. Tais obreiros excedem, em muito, aquilo que a Bíblia chama de inútil, pois nem o que lhes mandam, são capazes de realizar.

Ainda que a Bíblia defina cada função ministerial de forma especifica, isto é, atribuindo a cada função uma atividade especifica, devemos entender que em nossos dias e, mesmo na Bíblia, tais funções ministeriais indicam que os que a exercem são pessoas que Deus colocou na igreja para administra-la. Atentemos bem par o que a Palavra de Deus diz – “E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores”, isso quer dizer que os obreiros foram dados a igreja e não o contrário. Somos despenseiros de Deus. Se nada do que temos é particularmente nosso, quanto mais a igreja do Senhor.

Desta forma, independente da função que se ocupa na igreja, uma coisa é inegável – todos os obreiros (sem fazer distinção da função) devem se comportar de maneira irrepreensível. Não adianta querer argumentar que por não exercermos uma determinada função não seremos responsabilizados (espiritualmente), isso é uma filosofia falaciosa. Como a própria Palavra do Senhor claramente nos adverte, nós seremos responsabilizados pela vida de cada ovelha do rebanho de Deus, evidentemente, que de alguns, o Senhor “cobrará” com mais rigor.

“Servir de exemplo” requer daquele que se coloca como modelo, algo que se aproxima da perfeição, note bem que dissemos que se aproxima da perfeição, e aquilo que está próximo de ser perfeito não quer dizer que seja perfeito. “Servir de exemplo” é agir como modelo, de modo que os outros se sintam impelidos a adotar o mesmo comportamento. Mas o problema reside na questão de que não somos perfeitos e, por isso, podemos ser bons exemplos em muitas coisas e “maus” exemplos em outras. Por exemplo, tem muitos obreiros que são extremamente responsáveis com os horários de cultos ou reuniões, em contrapartida dão péssimo testemunho na família; outros são dedicados em seus ministérios e negligentes com os compromissos seculares; outros demonstram exageradamente uma reverência  nos cultos, mas por outro lado, são ignorantes quanto às doutrinas da Palavra de Deus.

Enfim, o “servir de exemplo” fala de se comportar diante do rebanho do Senhor de maneira que este seja induzido a nos seguir, ainda que tenhamos nossas fraquezas, estas jamais devem estar evidenciadas em nosso modo de viver. Não podemos fazer de nossas fraquezas um hábito, elas devem ser combatidas e repelidas com o poder da oração; vida dedicada; comunhão plena com o Senhor; e, obediência á Palavra de Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.