Ouvir sábios conselhos direciona o ser humano para decisões seguras.

Provérbios 11: 14
 “Não havendo sábia direção, o povo cai, mas, na multidão de conselheiros, há segurança”.

Após a morte de Salomão, Israel, que até este momento era uma nação composta pelas doze tribos, é dividido em dois reinos.  A única e exclusiva razão do reino ser dividido foi exclusivamente por causa da idolatria de Salomão – “Pelo que o Senhor se indignou contra Salomão, porquanto desviara o coração do Senhor, Deus de Israel, o qual duas vezes lhe aparecera. E acerca desta matéria lhe tinha dado ordem que não andasse em seguimento de outros deuses; porém não guardou o que o Senhor lhe ordenara. Pelo que disse o Senhor a Salomão: Visto que houve isso em ti, que não guardaste o meu concerto e os meus estatutos que te mandei, certamente, rasgarei de ti este reino e o darei a teu servo. Todavia, nos teus dias não o farei, por amor de Davi, teu pai; da mão de teu filho o rasgarei; porém todo o reino não rasgarei; uma tribo darei a teu filho, por amor de meu servo Davi e por amor de Jerusalém, que tenho elegido”.

Após a divisão, os reinos ficaram comumente conhecidos e diferenciados pelas designações “Norte” e “Sul”. Este último designa o reino menor, governado pela dinastia de Davi desde sua capital em Jerusalém até 586 a.C. e, consistia nas tribos de Judá e Benjamim, as que apoiaram a Roboão com um exército, quando o resto das tribos se levantaram em rebelião contra as opressivas medidas de Salomão e seu filho. O Reino do Norte designa as tribos dissidentes, que fizeram a Jeroboão seu rei. Este reino durou até 722 a.C., com sua capital sucessivamente em Siquem, Tirsá e Samaria.

Originalmente o nome de “Israel” foi dado a Jacó – “E disse-lhe: Qual é o teu nome? E ele disse: Jacó. Então, disse: Não se chamará mais o teu nome Jacó, mas Israel, pois, como príncipe, lutaste com Deus e com os homens e prevaleceste”. Desde os tempos patriarcais até a ocupação de Canaã, “Israel” tem especificado a totalidade da nação hebraica. Esta designação prevaleceu durante a monarquia de Davi e Salomão, inclusive quando estava dividida, a princípios do reinado de Davi.

A tribo de Judá, que estava estrategicamente situada e excepcionalmente forte, chegou a sua proeminência durante o tempo de Saul. Depois da divisão em 931 a.C., o nome de Judá identificava o Reino do Sul, que continuou sua aliança com a dinastia davídica. Em algumas passagens bíblicas, o Senhor se refere ao reino do Norte usando o nome Efraim, embora este nome é originalmente dado a um dos filhos de José, entretanto, ele designa especificamente a tribo que conduziu a nação à divisão. Estando situada no norte de Benjamim e Judá, “Efraim” representava a oposição a Judá e com frequência incluía a totalidade do Reino do Norte – “Manassés a Efraim, e Efraim a Manassés, e ambos eles serão contra Judá. Com tudo isto não se apartou a sua ira, mas ainda está estendida a sua mão”.

“Israel” se usa também na Bíblia como um termo para identificar com ele o povo fiel a Deus. Consequentemente, seu uso na Escritura deve ser interpretado de acordo com o contexto.

Erivelton Figueiredo

 Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– A História de Israel no Antigo Testamento – Samuel J. Schultz

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.