A idolatria deve ser banida.

I Coríntios 10: 7
 “Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; conforme está escrito: O povo assentou-se a comer e a beber e levantou-se para folgar”.

O concerto que Deus fez com Israel e, consequentemente, a toda humanidade abrange dois aspectos principais. Primeiro, o Senhor estabeleceu promessas e firmou compromissos com o, então, povo escolhido e separado para que, através deste, o Seu Filho fosse revelado ao mundo, em segundo lugar, o outro aspecto tem a ver com os que, através da fé, se submetem espontaneamente à vontade do Senhor e observem fielmente as “cláusulas” deste concerto. Deus prometeu que daria aos israelitas a terra de Canaã depois de libertá-los da escravidão no Egito, e que Ele seria o seu Deus e que os adotaria como o seu povo. O alvo supremo de Deus era trazer ao mundo o Salvador através do povo do concerto.

No seu concerto com os israelitas, o objetivo do Senhor Deus era que os povos doutras nações, ao observarem a fidelidade de Israel ao seu Deus, e as bênçãos que recebiam, buscassem o Senhor e integrassem a comunhão da fé. Somente pela perseverança na obediência aos mandamentos do Senhor e no oferecimento dos sacrifícios determinados por Deus no concerto é que Israel continuaria como a possessão preciosa de Deus e igualmente continuaria a receber as suas bênçãos. Noutras palavras, a continuação da eleição de Israel como o povo de Deus dependia da sua obediência ao seu Senhor, o que não ocorreu com toda plenitude, por diversas vezes, Israel se “prostituiu” após outros deuses.

A idolatria é um pecado que o povo de Deus, através da sua história no Antigo Testamento, cometia repetidamente. O primeiro caso registrado ocorreu na família de Jacó (Israel). Pouco antes de chegar a Betel, Jacó ordenou a remoção de imagens de deuses estranhos – “Então, disse Jacó à sua família e a todos os que com ele estavam: Tirai os deuses estranhos que há no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes”. O primeiro caso registrado na Bíblia em que Israel, de modo global, envolveu-se com idolatria foi na adoração do bezerro de ouro, enquanto Moisés estava no monte Sinai – “Mas, vendo o povo que Moisés tardava em descer do monte, ajuntou-se o povo a Arão e disseram-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses que vão adiante de nós; porque quanto a este Moisés, a este homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe sucedeu”.

Durante o período dos juízes, o povo de Deus frequentemente se voltava para os ídolos. Embora não haja evidência de idolatria nos tempos de Saul ou de Davi, o final do reinado de Salomão foi marcado por frequente idolatria em Israel. Na história do reino dividido, todos os reis do Reino do Norte (Israel) foram idólatras, bem como muitos dos reis do Reino do Sul (Judá). Somente depois do exílio, é que cessou o culto idólatra entre os judeus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal (pág. 146 e 446, extraído e adaptado)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.