Devemos amar uns aos outros e honrar os amigos que Deus nos deu.

Romanos 12: 10
 “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros”.

A Bíblia nos fala de muitas amizades que foram de uma solidez inexplicável e, às vezes, incompreendidas. Amizades cujos laços ultrapassavam os sentimentos estritamente humanos. Amizades que extrapolaram a dimensão física e, assim, sustentavam-se pela fé em Deus. Dentre tantas amizades que a Bíblia fala, hoje, comentaremos sobre a de Elias e Elizeu. Elias e Elizeu não eram conterrâneos e, muito menos, cresceram num mesmo ambiente social, todavia, foi uma amizade selada pelo Senhor, ou seja, Elizeu foi escolhido pelo Senhor para suceder Elias no ministério e, para que isso pudesse ocorrer de forma eficaz, algo muito mais sólido do que o simples relacionamento entre mestre e discípulo deveria existir. Desta forma, eles foram muito mais do que mestre e discípulo, eles foram amigos. 

Elias foi o primeiro de uma longa linhagem de importantes profetas que Deus enviou a Israel e Judá. O Reino do Norte não teve sequer um monarca fiel ao longo de sua história. Todos os seus governantes foram maus e levaram o povo a adorar deuses pagãos. Existiam poucos sacerdotes da tribo do Levi (a maioria foi para Judá), e os lideres religiosos indicados pelos reis de Israel eram corruptos e ineficazes. Sem rei ou sacerdotes para trazer a Palavra de Deus ao povo, o Senhor elegeu os profetas para tentar resgatar Israel de seu declínio moral e espiritual.

Poucos “substitutos” nas Escrituras foram tão eficientes quanto Eliseu, que foi o sucessor de Elias como profeta de Deus para Israel. Mas Eliseu teve o profeta Elias como um grande exemplo a ser seguido. Ele permaneceu com Elias até os últimos momentos da vida do seu mestre na terra. Estava disposto a seguir e a aprender a fim de receber poder para fazer o trabalho para o qual Deus o havia chamado.

Tanto Elias como Eliseu concentraram seus esforços nas necessidades especificas do povo que estava ao seu redor. O impetuoso Elias confrontou e expôs a idolatria, ajudando a criar uma atmosfera onde o povo pudesse adorar a Deus livre e publicamente. Eliseu então agiu com a finalidade de demonstrar a poderosa natureza de Deus, ainda que cuidadosa, para todos aqueles que vieram a Ele em busca de ajuda. Ele passou mais tempo cuidando compassivamente do povo do que em conflitos contra o mal.

A Bíblia registra 18 encontros entre Eliseu e as pessoas necessitadas. Eliseu teve uma visão mais ampla e de maior alcance na vida do que a maioria das pessoas, porque reconheceu que em Deus havia mais bênçãos a favor da vida. Ele sabia que tudo o que somos e temos vem de Deus. Os milagres que aconteceram durante o ministério de Eliseu colocaram as pessoas em contato com o Deus pessoal e Todo-poderoso. Elias teria se orgulhado do trabalho de seu substituto.

Nós, também, temos grandes exemplos a seguir — tanto as pessoas mencionadas nas Escrituras como aqueles que influenciam positivamente a nossa vida. Devemos resistir à tendência de pensar nas limitações que a nossa formação ou que o nosso ambiente criam para nós. Antes, devemos pedir que Deus nos use para seus propósitos — talvez, como Elias, tomar posição contra grandes erros ou, como Eliseu, mostrar compaixão pelas necessidades diárias daqueles que estão à nossa volta.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal (pág. 516)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.