Deus promove amizades com propósitos definidos.

Atos 13: 2-3
 “E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando, e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram”.

Paulo e Barnabé foram um exemplo de companheirismo arranjado por Deus. Mesmo tendo personalidades tão distintas conseguiram seguir em frente, embora, houvesse momentos de discórdias.  Paulo era muito religioso e Barnabé era muito crente. A formação “acadêmica” de Paulo era algo que o diferia de Barnabé, criando entre eles uma distancia enorme naquilo que diz respeito ao nível cultural. Paulo recebeu treinamento de Gamaliel que, para aquela época, era o melhor disponível. As intenções e os esforços de Paulo eram sinceros. Ele era um bom fariseu, conhecia a Sagrada Escritura e acreditava sinceramente que o movimento cristão era perigoso para o judaísmo. Por isso, odiava a fé cristã e perseguia os cristãos sem misericórdia.

Até a conversão de Paulo, pouco havia sido feito a respeito da divulgação do evangelho aos gentios. Filipe pregara em Samaria e para um homem etíope; Cornélio, um gentio, convertera-se pela pregação de Pedro; em Antioquia da Síria, alguns gregos haviam se unido aos cristãos. Depois da conversão de Paulo, Barnabé foi enviado a Jerusalém para verificar a situação da Igreja, depois foi a Tarso à procura de Paulo, a fim de levá-lo a Antioquia, onde juntos trabalharam com os cristãos que ali viviam. Então, empreenderam uma viagem missionária: a primeira das três que Paulo faria para divulgar o evangelho por todo o Império Romano.

A penosa questão que causou muitos problemas no início da Igreja consistiu em saber se os cristãos gentios deveriam obedecer às leis judaicas antes de tornarem-se cristãos. Paulo trabalhou arduamente para convencer os judeus de que os gentios eram aceitáveis diante de Deus e teve ainda mais dificuldade para convencer os gentios disso. A vida das pessoas a quem Paulo pregou foi transformada. Elas foram desafiadas a encontrar Cristo. Deus não desperdiçou característica alguma de Paulo, assim, sua formação, seu treinamento, sua cidadania, seu pensamento e até seus pontos fracos foram usados pelo Senhor.

A contribuição de Barnabé foi crucial para a Igreja Primitiva. De certo modo, podemos agradecer a ele pela maior parte do Novo Testamento. Deus usou o relacionamento de Barnabé com Paulo e com João Marcos para que estes dois homens seguissem adiante, uma vez que qualquer um deles poderia fracassar. Barnabé fez maravilhas com o encorajamento! Quando Paulo chegou a Jerusalém pela primeira vez depois de sua conversão, os cristãos locais mostraram-se relutantes em aceitá-lo. Pensavam que a história dele fosse um truque para capturar mais cristãos. Somente Barnabé se mostrou disposto a arriscar sua vida a fim de encontrar-se com Paulo e convencer os outros cristãos de que seu antigo inimigo era agora um crente fervoroso em Jesus.

Podemos, até, imaginar o que poderia ter acontecido com Paulo se não tivesse tido o apoio de Barnabé.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal (pág. 1497 e 1509)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.