Aquele que obedece a Deus será abençoado e desfrutará da provisão divina.

Deuteronômio 28: 8-9
 “O Senhor mandará que a bênção esteja contigo nos teus celeiros e em tudo que puseres a tua mão; e te abençoará na terra que te der o Senhor, teu Deus. O Senhor te confirmará para si por povo santo, como te tem jurado, quando guardares os mandamentos do Senhor, teu Deus, e andares nos seus caminhos”.

No meio do século nono a.C., o reino de Israel foi assolado pela apostasia religiosa. A casa real, representada pelo rei Acabe e sua esposa sidônia Jezabel, promovia a religião de Canaã, cultuando a Baal, e não hesitava em desarraigar a verdade por meio da força. A queixa de Elias – “Tenho sido muito zeloso pelo Senhor, Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram o teu concerto, derribaram os teus altares e mataram os teus profetas à espada; e eu fiquei só, e buscam a minha vida para ma tirarem”, é um bom resumo da situação: a apostasia nacional (“os filhos de Israel deixaram a tua aliança”), a perseguição religiosa (“derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada”) e a determinação de destruir o culto de Yahweh (“só eu fiquei, e agora estão tentando matar-me também”).

As bênçãos e maldições que foram proferidas diante do povo israelita dispensava por completo a aprovação o povo. Tudo o que se disse sobre o monte Ebal ou Gerizin, não foi dito para que o povo, após ouvir, fizesse uma avaliação do que foi falado para que, após minucioso exame, apontassem os pontos em que concordava e os que não concordavam com o Senhor. As bênçãos do Senhor são frutos inteiramente da Sua graça.

A promessa de Deus em abençoar o seu povo, não tem nenhuma restrição no que diz respeito àquilo que será abençoado. As bênçãos do Senhor alcançam o seu povo nas cidades, nos campos, no trabalho e em casa, em tudo que temos necessidade.  Ao trabalhar diariamente, Deus cuida de nós e faz com que nosso esforço prospere. O Senhor nos dá a vitória sobre os inimigos para que possamos permanecer de pé em nossa jornada. O Senhor ordene a chuva para os campos, para que o fruto da terra não falte sobre a nossa mesa. Mas, tudo isso só é possível quando vivemos em obediência a tudo quanto o Senhor pede de nós.

Quando Eliseu pediu “porção dobrada” de Elias sobre si, ele solicitava que a sucessão fosse-lhe assegurada assim como o direito de primogenitura, conforme a Bíblia nos fala. Ele pedia para ser o sucessor de Elias, ou seu herdeiro, aquele que poderia continuar o trabalho daquele homem de Deus como líder dos profetas. Mas a decisão de conceder aquele pedido pertencia ao Senhor, Elias somente lhe disse como poderia saber se seu desejo fora concedido.

Deus atendeu ao pedido de Eliseu porque os seus motivos eram puros. Seu principal objetivo não era ser melhor ou mais poderoso que Elias, mas realizar mais para o Senhor. Se nossos motivos forem honestos, não precisamos ter medo de pedir grandes coisas a Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Quem é Quem na Bíblia Sagrada – Paul Gardner
– Comentário Bíblico Expositivo do Velho Testamento – Warren W. Wiesrbe
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.