Os milagres que Deus realiza são inimagináveis.

Jó 5: 8-9
 “Mas quanto a mim eu buscaria a Deus, e a Ele dirigiria a minha fala. Ele faz coisas tão grandiosas, que se não podem esquadrinhar; e tantas maravilhas que se não podem contar.

Satanás com a permissão de Deus lançou contra Jó uma calamidade após outra. Seus filhos e filhas foram mortos quando a casa onde estavam reunidos caiu sobre eles e todas as suas posses foram destruídas ou roubadas por saqueadores. Tudo o que Jó possuía foi-lhe tirado e ainda assim não blasfemou, de maneira que Satanás atacou o próprio Jó, com feridas e enfermidades. Em meio a tal tragédia, a maior parte do livro descreve a maneira como Jó lidou com sua vida e sua interação com três amigos, os quais buscavam confortá-lo de diversas maneiras diferentes.

Elifaz, um dos amigos, embora fosse o mais sábio, por meio de seus discursos demonstrou ser um “instrutor” dogmático, pois proclamou uma visão moralista da salvação. Primeiro, exortou Jó a aceitar as perdas como castigo de Deus por seus pecados. Depois, acusou-o de subestimar o Senhor e o advertiu de que “pagaria caro a Deus” por seus pecados. Finalmente, apresentou-lhe vários pecados e concluiu com um apelo, para que se submetesse a Deus, a fim de ser “restaurado”. Ele persiste, dizendo a Jó que temos um Criador, que ele é o único perfeito, e que nós não somos. E claro que Jó já sabia disso tudo! Na verdade, nem tudo que Elifaz disse era incorreto, todavia, saber do que o nosso Deus é capaz não nos faz ser alcançados por Suas bênçãos.

A história de Jó nos revela que nosso Deus não queria provar nada para ninguém, aliás, quem desejava provar alguma coisa, mais uma vez se decepcionou. Embora Satanás esteja correto em sua opinião quanto ao caráter de muitos homens, ele sabe que sempre haverá alguns (poucos, mas haverá) que jamais se encurvarão diante dos banquetes deste mundo ou aflições desta vida, esses tais, honrarão a Deus em qualquer circunstância.

Jó não conhecia o propósito supremo do Todo-Poderoso no que se realizava em sua vida; por meio de seu sofrimento, revelar-se-ia que Satanás estava errado e seria desonrado e humilhado. No final do livro, Jó foi colocado no lugar em que estava no princípio. Ao passar por uma crise inimaginável, chegou a uma posição onde podia expressar confiança na soberania divina e arrependimento por ter ousado questionar as ações de Deus.

Numa época em que as pessoas buscam respostas simples sobre Deus e querem responder a todas as questões concernentes às suas vidas, especialmente no que diz respeito a saúde e prosperidade, é bom lembrar que o Senhor é Deus e o Todo-Poderoso; seu povo precisa ser sincero e honesto diante dele em seus pedidos e questionamentos; ainda assim, devemos saber também que muitas vezes não alcançamos as respostas facilmente, pois a humanidade jamais conhecerá totalmente a mente de Deus. A despeito de tudo isto, uma pessoa íntegra, que olha para o Senhor em fé e oração, pode confiar nele, sabedora de que Ele fará o que é justo e trabalhará em seus propósitos para o bem dos que o amam e são chamados segundo seu propósito.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Quem é Quem na Bíblia Sagrada – Paul Gardner
– Séries Heróis da Fé, Jó – Charles Swindoll

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.