Justiça e Misericórdia são atributos do Reino de Deus.

Salmos 89: 14
 “Justiça e juízo são a base do teu trono; misericórdia e verdade vão adiante do teu rosto”.

O salmista começa o salmo 89 louvando a Deus, trazendo à memória a aliança que o Senhor fez com seu povo, a fim de encorajar os servos do Senhor a fortalecerem sua fé contra tão terríveis momentos de tentação. Quando em nossos momentos de oração, surgir algum pensamento angustiante em nosso íntimo, devemos energicamente fazer com que tais pensamentos sejam substituídos pela confiança em Deus a fim de que nosso coração não desfaleça conduzindo-nos a desistir dos nossos objetivos. O objetivo do salmista ao escrever, era e é fortificar as mentes dos crentes. O princípio é que sobre uma base bem estabelecida, com suportes estáveis e substanciais, e confiando na promessa divina, ainda que aparentemente pareça ter caído por terra, o crente possa esperar confiadamente no cumprimento de cada promessa e continuar perseverantemente em oração.

O salmista, tendo falado da aliança de Deus, apontando, inclusive, que a fé deve começar na Palavra de Deus, agora chega ao enaltecimento de suas obras. Contudo, é preciso observar que, quando ele fala do poder maravilhoso de Deus, seu objetivo principal é o de exaltar de forma mais enfática a santidade do pacto. Ele exclama que este é o Deus que com justiça reivindica ser servido e temido, em quem se deve crer e em cujo poder deve repousar a mais inabalável confiança.

As muitas referências que os salmistas fazem ao que Deus deixou estabelecido como parâmetro para que todo homem possa, assim, efetuar aquilo que é a vontade expressa dEle, nos faz entender de forma mais clara cada termo bíblico. Por exemplo, quando os salmistas falam da Lei de Deus, geralmente, estão apontando para tudo aquilo que o Senhor deixou como instrução para o seu povo praticar; as prescrições do Senhor são tudo aquilo que solenemente testifica ser a Sua vontade; os mandamentos são todas as ordens que foram designadas para serem cumpridas; os juízos divinos são toas as coisas que estão determinadas como certas; e, Sua Palavra é o que Ele nos revelou de forma escrita.

Todas as vezes que o crente se dirige a Deus, ele deve ter sempre em mente os atributos que são próprios do Senhor, os quais estabelecem nossa fé a fim de não nos perdermos em especulações vãs. Especulações com as quais os homens insensatos não chegam a uma conclusão correta do que realmente Deus é, mesmo porque o homem insensato lê a Bíblia apenas como uma forma de recreação. O salmista declara que justiça e juízo são as colunas do trono sobre o qual Deus se assenta proeminentemente em posição de soberania, e que misericórdia e verdade são, por assim dizer, seus assistentes; como se quisesse dizer: “Os ornamentos com que Deus se acha vestido, em vez de um manto de púrpura, um diadema, ou um cetro, são eles o fato de Deus ser justo e imparcial Juiz do mundo, Pai compassivo e o fiel protetor de seu povo”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentários de Salmos vol. 3 – João Calvino
– Bíblia de Estudo NAA

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.