Paulo, chamado para ser apóstolo.

Romanos 1: 1
 “Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus”.

Novo trimestre iniciando e, a partir deste dia, nossos comentários vão girar em torno da vida de um homem que, ao se converter do judaísmo, tornou-se o maior e melhor exemplo de vida e fé em Jesus Cristo para os crentes de todas as épocas. Evidentemente que não foi um homem perfeito, mas, como ele sempre fez questão de frisar em suas cartas, embora não tenha alcançado a perfeição, ele a “perseguiu” até o último momento da sua vida “combatendo o bom combate”. Ele nunca se vangloriou da sua condição espiritual, mesmo sabendo que era um imprescindível instrumento nas mãos de Deus para a salvação dos gentios. Esse homem foi Saulo de Tarso que, antes da sua conversão, talvez tenha sido, nas mãos do diabo, uma ferramenta poderosíssima para fazer ferrenha oposição ao Evangelho do Reino, mas quando ele conheceu a “Verdade”, de perseguidor foi transformado em um fidelíssimo seguidor.

Nenhuma pessoa, exceto Jesus, deu forma à história do cristianismo como o apóstolo Paulo. Mesmo antes de tornar-se cristão, suas ações eram significativas. Sua perseguição frenética aos cristãos, seguida da morte de Estêvão, deu início a um processo de obediência por parte da Igreja à ordem de Cristo para pregar o evangelho em todo o mundo. O encontro pessoal de Paulo com Jesus transformou a vida dele. Nunca deixou de ser intensamente dedicado, mas a partir desse encontro, toda a dedicação de Paulo foi direcionada ao evangelho.

Paulo era muito religioso. O treinamento que recebeu de Gamaliel era o melhor disponível. As intenções e os esforços de Paulo eram sinceros. Ele era um bom fariseu, conhecia a Bíblia e acreditava sinceramente que o movimento cristão era perigoso para o judaísmo. Por isso, odiava a fé cristã e perseguia os cristãos sem misericórdia. Ele conseguiu permissão para viajar a Damasco para prender os servos de Deus e levá-los de volta a Jerusalém. Mas o Senhor o deteve em sua apressada jornada pela estrada de Damasco. Paulo teve um encontro pessoal com Jesus Cristo, e sua vida nunca mais foi a mesma.

Até a conversão de Paulo, pouco havia sido feito a respeito da divulgação do evangelho aos gentios. Filipe pregara em Samaria e para um homem etíope; Cornélio, um gentio, convertera-se pela pregação de Pedro; em Antioquia da Síria, alguns gregos haviam se unido aos cristãos. Depois da conversão de Paulo, Barnabé foi enviado a Jerusalém para verificar a situação da Igreja, depois foi a Tarso à procura de Paulo, a fim de levá-lo a Antioquia, onde juntos trabalharam com os cristãos que ali viviam. Então, empreenderam uma viagem missionária: a primeira das três que Paulo faria para divulgar o evangelho por todo o Império Romano.

Quando falamos de “bom combate” em relação à vida de Paulo, devemos ter em mente que depois de ter sido transformado por Deus de um perseguidor de cristãos em um pregador de Cristo, ele pregou a Cristo nas cidades do Império Romano, em três viagens missionárias; escreveu cartas para várias igrejas, que se tornaram parte do Novo Testamento; nunca teve medo de enfrentar os desafios e lidar com eles; e, que era sensível à liderança de Deus. Apesar de sua personalidade forte, sempre seguiu a direção de Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal (pág. 1497, extraído e adaptado)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.