Enviado para os gentios.

Atos 26: 16-18
 “Mas levanta-te e põe-te sobre teus pés, porque te apareci por isto, para te pôr por ministro e testemunha tanto das coisas que tens visto como daquelas pelas quais te aparecerei ainda, livrando-te deste povo e dos gentios, a quem agora te envio, para lhes abrires os olhos e das trevas os converteres à luz e do poder de Satanás a Deus, a fim de que recebam a remissão dos pecados e sorte entre os santificados pela fé em mim”.

Não há nenhuma evidência bíblica de que Paulo tenha tido um contato físico com o Senhor Jesus, antes da sua conversão. Pelas interpretações, conclui-se que ele tenha chegado a Jerusalém poucos dias depois da morte e crucificação do Senhor. O encontro de Saulo de Tarso com o Senhor Jesus na estrada para Damasco, revela qual é o verdadeiro significado da palavra “conversão”. Antes deste acontecimento, o jovem religioso radical, em defesa fervorosa de tudo o que tinha aprendido, foi imbuído de exterminar com a “nova seita” que estava surgindo. Assim, promovendo o medo através da crueldade com que tratava os “cristãos heréticos”, passou por uma experiência que transformou não apenas sua vida, mas que, também, pode transformar o destino da própria humanidade.

A salvação, de acordo com a interpretação bíblica, é um ato e um processo.  A salvação como um ato é o que os estudiosos chamam de “salvação posicional”, ou seja, o Senhor Deus livremente por Sua inteira e exclusiva vontade salva todo e qualquer pessoas que chegue a Ele através da fé em Cristo Jesus. Posicionalmente fomos salvos de uma condição irremediavelmente perdida; nós não tínhamos nenhuma condição de querer isso. Todavia, de acordo com o que é exposto na Palavra de Deus, após estarmos posicionados como salvos, agora está sobre nós a responsabilidade de permanecermos assim. Evidentemente, que não temos em nós mesmos condição para realizar esse processo e, sendo o Senhor conhecedor deste fato, pois fomos criados por Ele, o Espírito Santo está entre nós para nos auxiliar nisto.

Pois bem, diante do que foi exposto, devemos entender qual o verdadeiro sentido do termo “conversão”. Note bem que dissemos o verdadeiro sentido do termo e não, meramente, o seu significado. O significado de “converter”, segundo os dicionários, é mudar a mão de direção, ou seja, se estamos em determinada direção, quando fazemos a mudança em 180° (cento e oitenta graus) nesta direção, nós estamos convertendo a nossa direção. Ora! O sentido bíblico para o termo “converter” se aplica semelhantemente a isso, mas que é acrescido de um “pequeno” detalhe: o trajeto pelo qual estamos caminhando depois da conversão não é um trajeto pelo qual nós já passamos por ele, mas, agora, é o trajeto que Deus sempre quis que estivéssemos nele.

Quando fazemos uma análise minuciosa da vida do apóstolo Paulo, e neste trimestre teremos essa irrecuperável (para os que desprezarem) oportunidade, nos é desvendada muitas coisas acerca dos incontáveis assuntos que promovem tantas divisões entre os próprios evangélicos. As mesmas questões que dividiam fariseus, saduceus, essênios e tantos outros, continuam dividindo as igrejas nos dias de hoje – as interpretações bíblicas sobre as quais se elaboraram as doutrinas.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.