Paulo na dimensão do Espírito.

Atos 9: 17
 “E Ananias foi, e entrou na casa, e, impondo-lhe as mãos, disse: Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, me enviou, para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo”.

A “apatia” de muitos crentes dentro das igrejas se deve à grande confusão teológica que alguns irmãos têm o prazer de difundir. Não sou contra a teologia! Digo isso frequentemente! Mas sou contra alguns teólogos que se posicionam como detentores da verdade. Não estou dizendo que são mentirosos, mas, a forma como eles querem impor seus conceitos, taxando-os como a mais absoluta verdade em detrimento aos que outros estudiosos pensam. O que eu mais desejaria (se fosse possível) era ver a “cara” de um calvinista e de um arminianista lá no Céu. Falamos constantemente que os estudos teológicos devem ser aplicados para desfazer e não criar mais confusão na mente e no coração do crente.

Três dias depois da sua conversão, Paulo recebeu a plenitude (foi cheio e deveria permanecer assim) do Espírito Santo. A experiência de Paulo forma um paralelo com a dos discípulos no dia de Pentecoste. Primeiro, a sua experiência do novo nascimento; a salvação; depois, ser cheio do Espírito Santo. Embora Lucas não diga especificamente que Paulo falou em línguas quando recebeu o dom do Espírito Santo, é justo admitir que ele o fez. O padrão do Novo Testamento mostra que a pessoa que recebe a plenitude do Espírito Santo começa a falar noutras línguas. O próprio Paulo testifica que frequentemente falava em línguas – “Dou graças ao meu Deus, porque falo mais línguas do que vós todos”.

O segundo parágrafo deste artigo é uma nota da Bíblia de Estudo Pentecostal a respeito de versículo base e, como percebemos pelo comentário feito, entende-se que Paulo foi batizado com o Espírito Santo naquele momento. Não duvidamos disto! Acreditamos que o Espírito Santo batiza e que esse batismo é dado por Jesus Cristo, mas o que não podemos dar como definição é como Ele faz isso. As regras de como o batismo com (ou no, ou pelo) o Espírito Santo ocorre e quando ocorre quem determinou foram os estudiosos da Bíblia Sagrada, do passado, que estabeleceram.

Um grupo rejeita a experiência do batismo dizendo que o Espírito é dado automaticamente no momento da conversão e, assim,  todos os que creram, se arrependeram e foram batizados já receberam o Espírito Santo e não necessitam de nenhuma outra experiência. Por outro lado, o outro grupo diz existe uma experiência a mais, além da conversão, um batismo. Porém dizem que há uma “espera”, dando a entender que este dom deve ser esperado, buscado e até suplicado.

Precisamos entender que por um lado, o Dom do Espírito Santo já foi dado a todos que os creram e que, portanto, não é necessário buscar nem esperar aquilo que o Senhor já deu. Mas por outro lado quando alguém se converte deve ser instruído a respeito deste dom, receber imposição de mãos e se apossar da promessa de tal maneira que ela seja evidente, palpável e consciente.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal.
– Batismo no Espírito Santo (AD)

Compartilhar

2 thoughts on “Paulo na dimensão do Espírito.

  • 20 de outubro de 2021 em 19:17
    Permalink

    a paz do senhor Jesus Cristo meu nobre irmão maravilha eu gostei muito eu gosto do evangelho genuíno concordo plenamente o que senhor falou não sou contra teologia também não mais não vem inventa as coisas na bíblia não tem ser guiado pelo ESPÍRITO SANTO DE DEUS.

    Resposta
    • 20 de outubro de 2021 em 19:56
      Permalink

      Graça e Paz meu querido irmão.
      A Bíblia é nossa única regra de conduta e fé. Qualquer discurso destoado dela, é como o irmão disse – pura invenção humana.

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.