Paulo, um vaso escolhido de Deus.

Atos 9: 15-16
 “Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido para levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis, e dos filhos de Israel. E eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo meu nome”.

Quando paramos para analisar a nossa jornada como crentes neste mundo, percebemos que muita coisa poderia ter sido evitada se tivéssemos observado os incalculáveis ensinos que os muitos servos de Deus nos deixaram testificados na Bíblia Sagrada. Paulo de Tarso é um destes exemplos. Até o encontro com Jesus, Paulo nos mostra como uma pessoa não se deve comportar e, após sua conversão, ele nos mostra como o crente fiel deve proceder na sociedade, na igreja e na família. A vida de Paulo, antes e após a conversão, é um verdadeiro exemplo para todo crente. Exemplo para as coisas que devemos e não devemos fazer.

Convido-te a olhar para a vida de Paulo como sendo um crente nos dias de hoje. A nossa intenção é que ao fim deste artigo você possa ter uma maior compreensão do que significa estar convertido de fato. Embora Paulo não fizesse parte do grupo chamado de cristãos antes da sua conversão, porém, quando se fala de conversão, devemos entender que a conversão não se trata apenas de mudar de religião, mas, mudar radicalmente de comportamento (intelecto, sentimentos e vontades). Mas, hipoteticamente, vamos usar a pessoa de Paulo para representar um crente hodierno – um crente antes e depois de convertido.

O Paulo não convertido sempre frequentou igreja, aliás, ele nasceu (como alguns adoram falar, como se isso fosse garantia de conversão e salvação) em berço evangélico. E se atentarmos para a sua história, vamos verificar que ele não é apenas um frequentador de igreja – Paulo é um exemplo dentro da igreja. Paulo zela pelos dogmas da sua denominação com se fossem os mandamentos divinos. Paulo cumpre todos e, além disso, despreza os que falham em cumpri-los. Paulo não perde uma reunião onde ele for palestrar; não é líder de departamento porque isso é tarefa para os “fracos”, o seu “negócio” é pregar a palavra (com letra minúscula mesmo), além de colecionar inúmeros diplomas teológicos, ele possui uma agenda lotada. Paulo, segundo o julgamento que faz de si mesmo, é o crente que qualquer igreja desejaria ter em seu rol de membros. Mas como ninguém é perfeito, Paulo não frequenta EBD nem amarrado.

Porém, em certo culto (não era campanha nem festa de nenhum departamento, era um culto normal) ele teve um encontro com alguém que mudaria por completo seu modo de ver e compreender as coisas de Deus. Não é que Paulo estava fazendo as coisas de modo errado, não é isso, entretanto ele usava as motivações erradas para ser o que era. O ponto de conversão para qualquer crente que, ainda, não se converteu é Jesus Cristo.

Se após encontrarmo-nos com Jesus nada mudar em nós, ou se ocorrer uma mudança apenas superficial, não nos enganemos, PRECISAMOS NOS CONVERTER. Jamais se esqueça querido (a) leitor (a) a nossa escalada religiosa, muitas das vezes, nos faz distanciar de Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

2 thoughts on “Paulo, um vaso escolhido de Deus.

  • 20 de outubro de 2021 em 12:20
    Permalink

    PARABÉNS EXCELENTE COMENTÁRIO, GLÓRIA A DEUS ALELUIA.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.