Discipulados a fim de viver para glória de Deus.

I Coríntios 10: 31
 “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus”.

Fazer tudo para a glória de Deus implica em vivermos de forma que tudo quanto fizermos, e, isso vai além de declarações verbais, tem que glorificar somente a Deus. Esse estilo de vida só é possível ao que crê em Jesus, pois é assim que se recebe a própria vida de Deus. E é esta vida que é o meio que Deus vai usar para mudar daquilo que somos para aquilo que Ele planejou que fôssemos. É esta vida que tornará a nossa natureza semelhante a Ele. As Escrituras ensinam claramente que “aquele que tem o Filho tem a vida” – “Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida”. Aqueles que são sábios tomarão posse desta vida, se encherão dela e assim obterão todos os benefícios dela. A vida de Deus que Ele nos concedeu, é absolutamente crucial para o nosso caminhar espiritual. É esta vida que é a fonte de tudo o que Deus está operando dentro de nós.

Ora! Quando experimentamos o novo nascimento, devemos estar cientes de que isso é apenas o começo de uma longa e, às vezes, turbulenta jornada da vida cristã. Um discipulado bem ministrado na vida do novo convertido fará toda a diferença nesta jornada. Embora seja maravilhoso receber a vida de Deus, este é apenas o primeiro passo para um longo e duradouro processo de crescimento no Senhor. É apenas a introdução ao “aperfeiçoando santidade no temor de Deus”. Não apenas necessitamos receber esta nova vida, mas também precisamos fazer esta vida crescer em nós até a completa maturidade. A Bíblia ensina que, depois de ter nascido em uma manjedoura, “Jesus crescia em sabedoria e estatura”. Da mesma forma, nós também precisamos crescer espiritualmente até que a expressão de Deus através de nós seja completa.

Se somos, de fato, filhos de Deus, devemos manifestar Sua vida e natureza ao mundo de uma forma poderosa e, para isso, nós precisamos crescer em Sua plenitude – “Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo”. O nascimento de uma criança é maravilhoso, mas do ponto de vista funcional, eles não são muito úteis, pois, em vez de serem capazes de ajudar e de contribuir para o bem estar da manutenção da casa, eles próprios exigem dos pais tempo e atenção. E da mesma forma que Deus ama grandemente todos os recém-nascidos, assim ama o novo convertido e, em ambos os casos, Ele está procurando filhos que tenham chegado à maturidade para cumprir Seus propósitos na Terra.

Tem muito crente que supõem que nascer de novo é o ponto máximo a ser atingido. Eles imaginam que, após a regeneração, a única coisa que resta é acumular “recompensas” no céu. Como isto está longe da verdade! Crescer até uma completa maturidade espiritual é o único jeito de sermos realmente úteis ao reino de Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– De Glória em Glória, David W. Dyer

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.