Sabedoria, revelação e iluminação na vida do vocacionado.

Efésios 1: 17-18
 “Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação, tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que saibais qual seja a esperança da sua vocação e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos”.

O homem natural (no sentido generalizado do termo – ser humano), por si só, não é capaz de compreender as coisas concernentes a Deus se valendo apenas do seu conhecimento racional. Nós precisamos que o Espírito nos auxilie iluminando todo o nosso ser – mente, emoções e volição. O Espírito Santo revela a verdade da Palavra e, então, nos dá a sabedoria para compreendê-la e aplicá-la. Também nos concede o poder – a capacitação – para colocar a verdade em prática. Ao usarmos o termo ‘homem natural’ estamos apontando tanto para os que já estão salvos como para os que ainda não estão. Temos, na Bíblia Sagrada, vários homens e mulheres aos quais foi dada a oportunidade de conhecer o Deus verdadeiro sem que alguém tivesse “pregado” para eles.

Iluminar os olhos do entendimento, é a capacidade de apreender o revelado — de perceber a intenção e significado do que Deus torna conhecido, de modo que nos seja uma verdadeira revelação e, esta experiência, indiscutivelmente, não pode ser desfrutada separadamente do Espírito Santo, sobre quem Isaías descreveu que é “o Espírito de sabedoria e de inteligência, e o Espírito de conselho e de fortaleza, e o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR” .

Está implicitamente declarado na Bíblia Sagrada que é completamente impossível conhecer Deus tendo com Ele um relacionamento limitado, raso ou inconsistente. Limitado na sua extensão; raso no quanto devemos conhecê-Lo; e, inconsistente na sua solidez. Alguém escreveu com muita propriedade que a soma do conhecimento do crente é o conhecimento de Deus, o qual implica reconhecê-lo como Deus, vivo e verdadeiro, a fonte de toda a vida e verdade; é um conhecimento pessoal que envolve comunhão, adoração e obediência em amor.

O conhecimento a que Paulo se refere, escrevendo aos crentes de Éfeso, vai muito além do conhecimento teológico que muitas pessoas tem de Deus (vale lembrar que nem todos os teólogos são, de fato servos de Deus). O fato de eles serem cristãos significa que já tinham recebido iluminação divina. A oração de Paulo era para que o Espírito divino que neles habitava tornasse-lhes a visão mais clara, mais perspicaz, mais forte, a fim de que o poder, o amor e a grandeza divinos lhes fossem revelados de forma muito mais completa.

Um conhecimento mais profundo de Deus nos faz compreender que, em certas ocasiões, podemos enfrentar decepções em nossa história pessoal na esperança da vocação de Deus; que podemos nos alegrar na posse de capacidade e necessidade às quais nossas circunstâncias atuais não trazem satisfação, quando olhamos para as riquezas da glória da herança de Deus nos santos; e, que podemos superar os desânimos de fracassos e fraquezas constantes lembrando o poder de Deus mostrado na ressurreição de Cristo.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Novo Testamento – Warren W. Wiersbe
– Comentário Bíblico Beacon

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.